X
banner

Vajda: 'É estranho não estar com Djokovic nos torneios'

Sexta, 01 de julho 2022 às 08:13:16 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Em uma entrevista com Sasa Ozmo no site Tennis Majors, Marian Vajda, atual treinador de Alex Molcan e que acompanhou Novak Djokovic até o fim do ano passado e por quase toda a carreira do sérvio revelou detalhes muito interessantes do confronto Sérvio x Eslovaco em Roland Garros, incluindo os sentimentos.



"É muito estranho, claro. Em primeiro lugar, estar no box oposto em Paris já era bastante estranho. Honestamente, foi uma sensação horrível. Eu me senti muito mal e Novak também se sentiu muito mal. Mantemos contato, nos comunicamos e trocamos mensagens com frequência. Nosso relacionamento ainda é muito bom", disse o treinador eslovaco.

Após o jogo em Paris, ele comentou como foi a conversa com o sérvio: "Enviei uma mensagem para ele parabenizando-o pela vitória. Ele fez uma grande partida, eu disse a ele que Alex (Molcan) estava melhorando. Ele concordou e me disse: 'Ele deveria ter atacado mais meu segundo saque'. Pensei: ' Mamma mia, você é louco, você é incrível.” Ele começou a me dizer que tática usar contra ele mesmo (risos). Me deu conselhos sobre como melhorar o jogo de Alex foi um grande toque dele. Isso me ajudou a entender seu jogo melhor. É difícil enfrentar Novak e estar no mesmo torneio em que ele está: eu sempre o apoio e quero que ele vença Wimbledon."

"Achei que ia se sair bem em Paris, o tênis estava lá, mas a partida contra o Rafa foi muito difícil. Rafa mostrou seu melhor tênis e Novak não teve resposta. Talvez ele tenha se surpreendido no início, quando perdeu vários games importantes. Acho que o Rafa encontrou o buraco no forehand do Novak, ele teve muitos winners desse lado. Talvez o Nole pensasse que o Nadal procuraria mais o backhand, mas Rafa arriscou e acertou muito o forehand na linha. Isso valeu a pena, assim como poderia ter dado errado. Aqui em Wimbledon, eu vi um pouco da partida da primeira rodada dele. No geral, eu o vejo como bom, esta é a melhor superfície para ele.  Talvez seu desempenho na primeira rodada não foi muito bom, mas ele sempre melhora seu tênis à medida que as partidas avançam".

Sobre o progresso com Molcan, Djokovic detalhou: "No momento tudo está indo muito bem. Ele é uma pessoa que aprende muito e muito rápido, às vezes sinto que ele melhora em cada treino e em cada jogo. Estou feliz. Procuro ser positivo e explicar muitas coisas, Acho que as melhorias são visíveis. Eu tento implementar com Alex algumas das coisas que fiz com Novak, mas claramente não é a mesma coisa, porque cada elemento se encaixa em um jogador de uma maneira diferente. Alex é canhoto, então eu tenho que de outra perspectiva. Ainda preciso entender um pouco mais, mas até agora tudo está indo muito bem. Por exemplo, tivemos três semanas muito boas de preparação na grama. Alex gosta de jogar no saibro e jogar no grama é muito diferente, então conversamos um pouco mais sobre ir até a rede, sobre mobilidade, como lidar com bolas baixas e mudança de velocidade, etc. Além disso, tentei mudar um pouco o saque dele: não tecnicamente, mas estrategicamente. O que me deixa mais feliz é que ele absorve tudo, e é um prazer para mim poder dar-lhe todas essas informações."

banner
banner