X

Toni Nadal confirma que deixará Rafa e minimiza polêmica: 'Está em boas mãos'

Terça, 14 de fevereiro 2017 às 16:46:07 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Em entrevista concedida a meios espanhois nesta terça-feira, Toni Nadal confirmou que este será o último ano ao lado do sobrinho Rafael Nadal viajando como treinador. Em bate-papo ele afirmou que ficará na academia e que o donode 14 Grand Slams está em boas mãos.



A decisão já havia sido tomada antes do início do Australian Open, mas comunicada somente ao pai de Rafa e também Carlos Moya e a equipe. Toni não queria tirar o foco do jogador que foi vice-campeão em Melbourne diante de Roger Federer: "Quando viajei para a Austrália já tinha decidido deixá-lo. Levo anos pensando o que me custa, falando para minha mulher. Contei a ela da decisão. Tenho q possibilidade de estar na academia o que me motiva. Rafael está perfeitamente atendido por Carlos Moya. Quando saí de Melbourne não sabia se dizia ao Rafael, mas me despedi de todo mundo pois sabia que seria a última vez que estaria ali, do motorista, das pessoas que nos atendem, do diretor do torneio", disse Toni.

"Vou meditando as coisas e entendendo que é um bom momento. Sei a idade que tenho, os anos que levo dando voltas pelo mundo, a tensão que me produz a competição. E me dá muita vontade de estar na academia. Eu vou, mas não fica nada ruim para meu sobrinho. Está bem, em boas mãos e ainda terei mais um ano viajando no circuito".

“Não se deve buscar alguma leitura oculta, são muitas temporadas, se não fosse meu sobrinho talvez já estaria com outro, terminado muito antes. Levei minha família a alguns torneios, mas é difícil. Me encantou tudo o que fiz, mas perdi algumas coisas importantes". 

Toni afirmou também que caso Moya tenha algum problema quando viajar sozinho com seu sobrinho assim como Francisco Roig, outro treinador do jogador, ele poderá acompanhar: "É tão simples, estaria encantado de ir".

Desmentiu polêmica - Toni também explicou declarações dadas durante conferência de técnicos em Budapeste, na Hungria, que teriam sido dadas fora de contexto pelo meio italiano: "Estavam falando sobre decisões durante a conferência, Magnus Norman falou que era o Wawrinka que decidia e eu comentei que até os 12, 13 anos eu que decidia os torneios do Rafa, depois quando fosse ficando maior eu decidiria menos. Mais seu pai e manager. Deixo claro que era algo normal, deve ser assim. Se tivesse algum problema com meu sobrinho deixaria de treiná-lo hoje mesmo e não ano que vem".

banner
banner