X

Lajovic abre o coração sobre infância de guerras na antiga Iugoslávia

Segunda, 20 de fevereiro 2017 às 19:24:11 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller - O sérvio Dusan Lajovic venceu sua partida de estreia no Rio Open contra o argentino Facundo Bagnis por 6/4 6/4. Após a partida, Lajovic falou sobre sua infância nas guerras da Iugoslávia, adicionando um pouco de humor ao drama vivido.



“Talvez não fôssemos tão bons sem as bombas”, assim abriu seu relato, arrancando risadas dos jornalistas presentes. “Não é fácil, eu tenho 26 anos e passei por duas guerras. Não é algo do qual eu me orgulhe, mas faz você abrir os olhos e perceber que existe muito mais na vida além do tênis. Realmente temos muitos grandes jogadores, não sei se precisamente em razão das guerras, mas é algo real”.

 
“Nesta época eu não jogava tantos torneios fora da Sérvia, eu tinha 9 anos ainda. Para nós era relativamente mais fácil, creio eu, pois não entendíamos ainda como as coisas funcionavam, mas eu lembro de não ir para a escola por 7 ou 8 dias e confesso que ainda hoje tenho arrepios quando lembro das sirenes e de todos correndo para os abrigos anti-bombas”, relembra Lajovic enquanto demonstrava claramente uma mudança no semblante ao relatar a memória.

 
O sérvio ainda ressaltou como os incidentes enfrentados por seu povo ao longo dos anos 90 foram vitais para tornar os atletas mentalmente mais fortes, uma vez que para seguir o sonho, todos precisaram superar os traumas das guerras.

 
“Todo país fica destruído após a guerra, então diante de todas essas situações nós ficamos mais fortes. Creio que isso nos fez mentalmente mais fortes do que éramos no passado, por isso que Novak é tão bom, eu acho”.

 
“Sempre haverá alguma tensão naquela área. Tenho muitos amigos na Bósnia e Croácia. Creio que as pessoas estão cada vez mais lutando contra a tensão nessas áreas e acho que no futuro veremos um fim nisso, pois ninguém merece passar por coisas assim, principalmente as crianças”.

 
Lajovic ainda comentou sobre um incidente intrigante, no 4/4 do primeiro set quando ele tinha 0/30 no serviço do argentino, Bagnis interrompeu a partida e pediu a reposição de três bolas que haviam sido perdidas em lances onde foram arremessadas fora de quadra. A situação gerou um bate-boca entre os tenistas e a torcida ficou perdida.

 
“Eu entendi errado o juiz, ele disse que se tivermos jogado menos que dois games podemos repôr as bolas, mas se tivermos jogado mais de dois games aí teríamos que repor todas bolas. Essa realmente foi a primeira vez que ouvi essa regra pois nunca havia perdido três bolas em um game”.

banner
banner