X

Clezar paralisa carreira e entra no mercado financeiro

Sábado, 19 de junho 2021 às 15:32:37 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O gaúcho Guilherme Clezar, atual 276 do mundo e quinto do Brasil, pausou sua carreira após cirurgia e entrou para o mercado financeiro. O tenista passou por intervenção no pé e ficará afastado até pelo menos setembro.



O tenista foi 13 do mundo juvenil e almejava entrar no top 100, mas alcançou o 153º posto e em sua postagem no Instagram relatou as dificuldades e frustrações que o tênis lhe impôs.

Clezar, formado em administração, está licenciado como assessor de investimentos e fazendo parte do escritório Origem Invest, filiado ao Safra Invest, do banco Safra, em Porto Alegre. 

"O tenista é muito favorecido quando migra para o mercado financeiro. A gente passou por tanta dificuldade e tanto perrengue que a gente cria uma carcaça, consegue traçar um plano muito bo

"Neste ano, eu fui diagnosticado com Síndrome de Haglund. É uma saliência no osso que fica raspando no tendão. Eu jogava uma partida e tudo bem. Jogava duas, começava a sentir muita dor. Na terceira, eu quase não conseguia andar. Operei os dois pés. Falei com a ATP e pedi um ranking protegido. Tenho que ficar seis meses sem jogar. Nesse período, fiz a prova para obter a licença como assessor de investimentos e passei com mais de 90%. Seis meses são um tempo legal para acertar a vida. Até setembro, vou me ajeitar aqui, ver o que tenho de opções e ver como ficam os meus pés. Quando setembro chegar, verei se tenho vontade de voltar a jogar. Nada ensina tanto na vida quanto uma derrota Nada ensina tanto na vida quanto uma derrota, e no tênis a gente perde toda semana. O esporte é uma escola que deixa a gente com uma carcaça para o que vem depois. Qualquer atleta profissional tem isso muito latente e é por isso que depois que ele para de jogar, ele se dá bem na vida. Por ter esse fogo dentro de si, por querer mais, por correr atrás das coisas e não esperar que elas caiam do céu. A vida de tenista ensina isso mais do que qualquer coisa. No esporte, se tu tão tem isso, se tu não tá disposto a acordar e matar um leão por dia, o circuito te come vivo. E é isso que eu levo para essa nova fase da vida".

 

banner
banner