X

Murray defende Madri: 'Os torneios dão convites para quem quiserem'

Quinta, 21 de abril 2022 às 09:25:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O escocês Andy Murray, ex-número 1 do mundo e atual 83º, não ficou calado diante da carta crítica emitida por tenistas espanhóis liderados pelo ex-top 7 Fernando Verdasco, e afirmou que cada torneio tem o direito de dar o convite a quem quiser.



Leia mais

Osaka e Murray lideram lista de convites em Madri, que tem promessa russa

Liderados por Verdasco, espanhóis criticam convites dados por Madri

Badosa apoia compatriotas e recorda estouro no circuito graças a convite

Murray havia definido que não jogaria torneios no saibro, mas mudou de ideia e disputará a chave em Madri, onde foi campeão em 2015, através de um dos convites distribuídos pela organização.

O escocês não pareceu ser o alvo das críticas dos espanhóis, que afirmaram pouco espaço para jovens locais e que este era o grande problema da lista de convidados. Porém utilizou o Twitter para falar do tema e acabou excluindo a postagem, por ver que havia outros atletas mencionados na postagem.

"O tweet original tinha outros usuários do Twitter anexados e eu não estava discutindo com o que eles disseram, pois não falo espanhol", escreveu Murray a um seguidor que criticou o fato dele excluir a postagem.

O torcedor seguiu respondendo o escocês e afirmou: "Ninguém é realmente 'merecedor' de um WC (convite)… se eles merecessem estar no torneio, seu ranking os colocaria lá. Literalmente, apenas você e mais alguns outros selecionados fazem isso, você é um campeão da maioria dos eventos! Mas usar WC para atrair talentos locais é fundamental!". 

Murray se explicou: "Concordamos que ninguém merece um convite. Nós apenas discordamos sobre os curingas sendo usados especificamente para jovens talentos locais. Muitas pessoas têm essa opinião, mas não acho justo com todos os jogadores que não vêm de países que recebem torneios do circuito".

Dos convidados destacados na lista de Madri como jovens talentos estão a russa Erika Andreeva, a tcheca Linda Fruhvirtova, o britânico Jake Draper e o chinês Juncheng Shang. Todos eles são naturais de países que recebem torneios dos circuitos WTA e ATP, respectivamente. Draper, inclusive, é o único natural de uma nação que organiza um dos quatro torneios do Grand Slam.

O torcedor então voltou a provocar o escocês com a imagem da última chave de Wimbledon, que Murray disputou com um convite: " Murray é a favor de Wimbledon ceder seus convites a eslovenos e ganeses jovens. Eu também. Não deem convites a jovens locais!". Ao que Murray disparou:

"Qualquer torneio pode dar seus convites para quem quiser. Mas só porque sou britânico não deveria me tornar mais 'merecedor' de um convite do que qualquer outra pessoa em Wimbledon. Holger Rune (dinamarquês) é menos merecedor do que um jogador espanhol local?"

A discussão seguiu, com o seguidor recordando que Rune recebeu muitos convites ao longo das últimas duas temporadas e voltou a afirmar que 'não é loucura' que torneios deem convites para locais.

"Ninguém está dizendo que é loucura e você tem direito a essa opinião. Muitos jogadores não vêm de países que sediam grandes torneios de tênis. Não é muito injusto que esses jogadores não recebam nenhum convite?", questionou o escocês, que viu o torcedor concordar, mas seguir retrucando que 75% dos convites dados por Wimbledon são para locais.

"Sim, jogadores britânicos se beneficiam de muitos convites. Tal como espanhóis. E eu não acredito que seja justo", finalizou o escocês.

banner
banner