X

Gustavo Carneiro destaca experiência inédita em uma Paralimpíada

Domingo, 29 de agosto 2021 às 21:14:49 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Gustavo Carneiro, número 37 do mundo da categoria Open do Tênis em Cadeira de Rodas, foi superado, neste domingo, nas oitavas de final de duplas nos Jogos Paralímpicos, em Tóquio, no Japão.

 



Natural de Uberlândia (MG), Carneiro e o parceiro Daniel Rodrigues caíram diante dos belgas Joachim Gerard e Jef Vandorpe, cabeças de chave 6, por 6/3 6/1.

Gustavo, que amputou a perna por um câncer no fim de 2017 e começou a jogar tênis em cadeira de rodas pouco depois, comentou sua primeira experiência nos Jogos: "Muito emocionado olhando pra trás vendo tudo o que aconteceu na minha vida . Lembro como se fosse hoje  o dia 4 de outubro de 2017, estava no hospital em São Paulo, chorando após escutar do médico  que precisaria amputar a perna . Depois de pensar muito sobre o que seria para minha vida pesquisei e vi quando seria a próxima Paralimpíada : Tóquio em 2020. Mesmo sem saber qual modalidade jogaria, sabia que estaria em Tóquio de qualquer jeito. Escolhi o tênis e não seria diferente, jogo desde os 9 anos e tive muita vontade de ser profissional, era minha segunda chance. Comecei a treinar em janeiro de 2018, tinha pouco tempo para aprender e jogar bem a ponto de estar entre os 40 melhores em dois anos para me classificar. Vivi intensamente a rotina de um atleta profissional, aos poucos fui profissionalizando minha rotina de treinos, prevenção ,fortalecimento, alimentação e suplementação. Mas existia o desafio de viver do esporte e entendi que estava começando um novo negócio, teria que ser empreendedor também e graças a Deus muitas empresas acreditaram em mim, sou eternamente grato a todas elas, não estaria aqui se não fossem elas. Muitas pssoas fizeram parte dessa conquista, muito obrigado Raphael Moraes, treinamos juntos desde o início, meu staff, Nina Ferolla, Eduardo meu preparador físico, Paulo Rezende, meu fisioterapeuta, Daniel Biasoli, nutricionista. Obrigado a todosde minha família.  Paris 2024 que me aguarde, o bicho vai pegar lá!" disse paratenista que tem os patrocínios da ASICS, Equaliv, Politriz, Construtora RFreitas e Restaurante Terra Brasilis, além de contar com os apoios da Confederação Brasileira de Tênis e do Banco BRB.

 

banner
banner