X

Fatos curiosos sobre o tênis: da prática do jogo a comportamentos inusitados

Terça, 24 de agosto 2021 às 09:14:46 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Desde a ocorrência do primeiro torneio de tênis, em 1877, o esporte já passou por muita coisa. Registros históricos indicam que uma prática primitiva já ocorria no Antigo Egito e modalidades mais similares das atuais aconteciam antes mesmo da revolução industrial na Europa. 



Além de mudanças nas regras, criação de entidades e alterações na modalidade, o esporte se atualiza ainda mais com o passar do tempo. Atualmente, com os adventos da tecnologia, os fãs de tênis podem não apenas acompanhar jogos e partidas, como também realizar apostas online no seu esporte favorito.

 

Por passar por tantas transformações, não é de se admirar que, em toda sua trajetória, o mundo do tênis tenha vivido tantos fatos curiosos. Descubra as principais curiosidades que rodeiam esse esporte nos tópicos a seguir.

 

A raquete nem sempre foi essencial
O jogo de tênis que conhecemos hoje não é praticado como antigamente. Durante muitos anos, os praticantes de tênis da Antiguidade usavam apenas uma pequena bola e a palma de sua mão. As raquetes, utilizadas hoje em dia, só surgiram no jogo a partir do século XVI.

 

Registros indicam que confrontos já ocorriam no Egito Antigo
Engana-se quem pensa que o tênis é um esporte moderno. Segundo registros, a prática já é marcada com a ocorrência de disputas no Egito Antigo. Posteriormente, relatos também mostram competidores na Europa, por volta do século V.

 

Obviamente, esse tênis era uma versão primitiva do que conhecemos hoje – tanto é que nem as raquetes haviam sido desenvolvidas. Algo mais perto da versão moderna surgiu na Europa (França e Itália) a partir do século XII.

 

As quadras tinham formato de ampulheta
Para o tênis, o tempo não modificou apenas o uso das mãos pela raquete ou as regras do jogo. A verdade é que o formato de quadras que conhecemos hoje só passou a ser utilizado em 1877, na mesma época em que ocorreu o torneio mais antigo do mundo. Antigamente, as quadras tinham formato de ampulheta e eram bem menores do que as atuais.

 

Hoje em dia, a quadra deve ser em formato de retângulo, com metragens específicas para jogos simples ou em duplas. A altura da rede também segue regras específicas – bem como as divisões da quadra.

 

Boland foi aos Jogos Olímpicos como espectador e levou ouro
Durante a estreia do esporte nas Olimpíadas de Atenas, em 1896, um fato muito curioso permeou a competição. John Boland foi até o evento apenas para acompanhar os jogos (como mero contemplador).  

 

Boland acabou conhecendo o tenista grego-egípcio Dionysios Kasdaglis, que acabou o convencendo a se inscrever para participar da competição. Em uma virada surpreendente, de espectador a participante, Boland chegou não apenas à final – ele também levou o primeiro ouro da história para o esporte.

 

Os irmãos Doherty não quiseram disputar entre si
Outro acontecimento curioso envolvendo atletas de tênis foi o ocorrido em 1900 com os irmãos Doherty. Nas Olimpíadas de Paris, os irmãos Laurence e Reginald Doherty iriam competir nas semifinais. Mas o mais velho não aceitou disputar contra o irmão – deixando Laurence seguir para a final da competição.

 

Com apenas 19 anos, Steffi Graf foi campeã no Grand Slam
Com uma jornada épica dentro do esporte, Steffi Graf fez história no ano dos Jogos Olímpicos na Coreia do Sul. Durante esse ano, ela foi campeã e levou o título nos torneios mais prestigiados e importantes para o tênis: Roland Garros, Wimbledon e US e Australian Open – vencendo os torneios do Grand Slam. 


Na mesma temporada, ela completou o Golden Slam com a participação extraordinária nos Jogos Olímpicos. Feitos incríveis!

 

Partidas de mais de 11 horas já ocorreram
Muitos podem dizer que entre duas a três horas é um período ideal para um jogo de tênis. Mas não foi isso que aconteceu em um jogo entre Nicolas Mahut e John Inser.

 

Considerada como a partida mais longa da história do tênis, o confronto entre ambos só foi finalizado após 11 horas e 5 minutos – resultando na vitória de Isner. Três dias foram necessários para completar o feito!

 

Haja morangos e chás para as tradições britânicas
Segundo dados oficiais da equipe responsável pela organização do imponente torneio de Wimbledon, mais de 28 mil quilos de morango são consumidos – na típica tradição dos morangos com creme. Ainda, durante a competição, passa de 350 mil o número de xícaras de chá ou de café que são servidas.

 

A tradição de comer morangos com creme no torneio é mais antiga do que se imagina. Acredita-se que a moda antiga se concretizou porque a colheita da fruta era abundante exatamente na época do Wimbledon.

 

Wimbledon não é a favor de roupas extravagantes
O mundo do tênis é dotado de fatos e looks curiosos. Em 2020, por exemplo, o tenista búlgaro Grigor Dimitrov entrou em quadra vestindo uma roupa bastante chamativa, que por alguns lembrava um pijama. Em 2015, ainda, o suíço Stan Wawrinka pediu uma autorização formal para a organização do Wimbledon para utilizar sua bermuda de dormir.

 

Para manter a tradição e evitar tanta extravagância, a tradicional competição londrina incentiva os atletas a utilizarem uniformes predominantemente brancos. Além das roupas em si, itens como tênis, meias e bonés também devem, preferencialmente, seguir a mesma regra.

 

O uso de cores fluorescentes está estritamente proibido durante o torneio. Basicamente, a utilização de roupas brancas é quase que uma obrigação – com tons escuros altamente “desaconselhados” por Wimbledon.

 

banner
banner