X

Medalha brasileira no tênis é lembrete de como podemos ser protagonistas

Sexta, 13 de agosto 2021 às 18:21:03 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Exatamente 20 anos atrás o brasileiro Gustavo Kuerten fazia história em Roland Garros com sua terceira conquista – tinha vencido em 1997, de forma surpreendente, e em 2000 – emocionando o mundo com seu carisma e seu jogo alegre e desenvolto. Infelizmente sua carreira seria abreviada por lesões e não conseguimos ter sequência no tênis individual do mais alto nível. O mesmo tinha acontecido décadas antes com a incrível Maria Esther Bueno, três vezes campeã em Wimbledon e quatro vezes do US Open no simples.



A campanha de Laura Pigossi e Luisa Stefani, que terminou com o bronze na Olimpíada de Tóquio, é mais um lembrete de como o Brasil tem talento de sobra no esporte, mas falta criar a estrutura, organização e condições adequadas para que jovens atletas e talentos no masculino e feminino possam treinar e jogar com o apoio necessário. Até nos sites de apostas, o esporte é um dos preferidos do público que tem acesso aos maiores torneios mundiais e dezenas de jogos acontecendo a todo momento ao redor do mundo. Leia mais aqui e veja como participar.

O sucesso é por causa dos fenômenos
Guga e Maria Esther Bueno não foram produtos de um trabalho ímpar de revelação, treinamento e desenvolvimento de atletas. Ambos são verdadeiros fenômenos, que junto com suas famílias e profissionais como Larri Passos criaram o caminho até o topo com muito suor e luta.

O investimento em um treinador, a possibilidade de treinar todos os dias, jogar competições e ainda ter acompanhamento de nutricionistas, fisiologistas e outros profissionais só é possível para poucos. Sem o apoio da Confederação e patrocinadores – que precisam também ser incentivados a fazer esse investimento – não é possível aproveitar todo o potencial que existe no país.

Um bom termômetro para essa dificuldade em ter consistência é nosso desempenho na Copa Davis, não conseguindo chegar perto das finais há muito tempo.

Uma das figuras que mais tem experiência nesse meio, tanto como jogador e agora como comentarista e ajudando na formação de atletas, Fernando Meligeni, é um dos mais críticos quanto a essa falta de apoio e também a necessidade de termos mais memória e a importância da questão psicológica.

O tênis permite a exposição
Uma grande dificuldade dos esportes olímpicos é a falta de exposição. Sem muitas pessoas nas arquibancadas e pessoas assistindo pela televisão, é difícil a geração de renda, o sustento do atleta e a evolução do esporte.

Não é a realidade do tênis. Seus maiores torneios são disputados pelos canais de esporte, as premiações são altas, há diversos circuitos com competições a todo momento e um calendário cheio.

O fato de existir interesse e recursos gera a procura de empresas por patrocínios e outras oportunidades como bolsas de estudo para jogar em universidades americanas. Ou seja, existem caminhos que para outros esportes são muito mais difíceis. Claro que o circuito de Challengers não é um mar de rosas, mas é uma porta de entrada excelente para todos os tenistas que desejam chegar nos principais torneios.

Como ser um tenista
Em seu blog na ESPN, Meligeni apontou o que é ser um tenista em seis lições. O desafio não é para todos e amar o esporte é algo mais do que necessário. Precisa ser o que movimenta sua vida basicamente.

No contexto brasileiro é legal que um tenista busque um clube ou uma escola movimentada. Nela será possível não só aprender o esporte e evoluir, como constantemente medir sua qualidade contra rivais e evoluir com a competição. Afinal o tênis vive desse embate.

O investimento não será barato. Raquetes são caras e é preciso comprar bolinhas, tênis, roupas especiais a todo momento. Aulas, viagens para competir e outras despesas também se acumulam antes que qualquer apoio seja possível, seja via patrocinador ou federações/confederação.

Portanto tudo depende da sua possibilidade. O importante é sempre buscar a evolução e acreditar que será possível chegar no seu objetivo, seja para repetir os resultados maravilhosos de Laura Pigossi e Luisa Stefani ou jogar em alto nível nos torneios de sua cidade.

banner
banner