X

Hanfmann após voltar a competir: 'Situação é dramática, mas estamos felizes'

Sábado, 02 de maio 2020 às 11:19:34 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Yannick Hanfmann, número 143 do mundo, comemorou o feito de voltar a competir nesta sexta-feira em torneio na Alemanha com oito jogadores em Höhr-Grenzhausen. Ele falou ao portal TennisNet.



"Eles entraram em contato comigo muito cedo para apresentar a ideia de jogar uma série de torneios. Com o tempo, eles me enviaram informações mais detalhadas sobre esses eventos e os requisitos que precisavam ser atendidos no local, até que finalmente foi confirmado que poderia ser realizado. Estamos muito felizes por poder competir novamente, eu realmente queria jogar com Dustin Brown novamente, é sempre muito divertido", disse o sétimo melhor alemão na ATP.

"Felizmente, o TennisBase Oberhaching recebeu uma exceção para que possamos começar a treinar novamente, para que possamos pelo menos ter uma rotina diária com uma nova atividade. Obviamente, as regras gerais do distanciamento social estão sendo aplicadas. Sem cumprimentos na rede, a academia só pode ser ocupada por duas pessoas ao mesmo tempo, e os treinadores devem garantir a desinfecção regular de cada dispositivo. Vestiários e chuveiros agora são tabu. A situação é um pouco dramática, mas estamos felizes em poder jogar novamente".

É a luta que todos os países enfrentam no momento, estudando a situação e o estágio em que estão enfrentando o coronavírus, vendo a quantidade de demanda que eles têm de seus jogadores e, sobretudo, analisando onde e de que maneira eles podem avançar. esses pequenos torneios. Na Alemanha, sempre famosa por sua vanguarda e indo a um ritmo mais alto, parece que o estágio de congelamento já foi deixado para trás, embora alguns como Hanfmann soubessem aproveitá-lo.

“Quando os primeiros torneios foram cancelados, fiquei em casa, sem fazer absolutamente nada nas primeiras três ou quatro semanas. Consequentemente, pude passar muito mais tempo com os membros da minha família, algo que não havia tido muito tempo nos últimos anos. Por esse motivo, recebi o isolamento de uma maneira positiva desde o início, foi muito bom. No entanto, com o passar dos dias e, especialmente, no final desta fase, eu já sentia a necessidade de fazer mais do que apenas ficar no sofá", diz o alemão.

banner
banner