X

Abatido, Bellucci afirma que precisa reencontrar forma de entrar feliz em quadra

Terça, 28 de fevereiro 2017 às 23:36:10 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - Número 1 do Brasil e uma semana após conseguir uma de suas maiores vitórias da carreira, Thomaz Bellucci mostrou muito abatimento após a derrota para o argentino Diego Schwartzman, 44º, na primeira rodada do Brasil Open por 6/2 6/0 em 57 minutos.



O brasileiro citou estar infeliz em quadra nas últimas partidas e busca reencontrar a forma de estar bem consigo mesmo. Após superar Kei Nishikori, quinto do mundo, no Rio de Janeiro, ele perdeu para Thiago Monteiro nas oitavas do Rio Open e pelo segundo ano seguido não conseguiu avançar em São Paulo.

"Doí como todas as derrotas doem, jogar em casa é sempre especial, queria ter jogado muito melhor do que joguei, meu jogo foi muito decepcionante. Vou conversar com o João [Zwetsch - seu treinador] para encontrar um pouco a alegria e motivação de estar na quadra, pensar no que preciso fazer para dar a volta por cima", lamentou o brasileiro

"Tem que ser realista, esfriar a cabeça, pensar o que fiz de errado. Esse ano e o passado foram difíceis pra mim, entrar em quadra e me sentir bem independente do que as pessoas pensarem tenho que entrar em quadra feliz, encontrar a forma de entrar na quadra e me sentir bem. [Isso] é o que não tenho conseguido fazer nos últimos jogos".
Bellucci confirmou não ter entrado 100% fisicamente em quadra diante dos problemas estomacais que teve na segunda-feira, que o obrigou a desistir da disputa de duplas ao lado de Thiago Monteiro.

"Nem sempre as coisas saem do jeito que você quer e no jogo você precisa esfriar a cabeça e achar a maneira de reverter a situação. Hoje não consegui fazer isso, foi um jogo muito ruim de técnico, físico e mental. Não consegui fazer nada do que havia trabalhado com o João".

"Errei demais. Foi um jogo diferente do que costuma ser contra ele [Schwartzman], com pontos longos, não encontrava a energia certa para imprimir no jogo. Méritos dele também. Sabia que não estaria 100%, que teria que me superar e não consegui fazer, joguei muito aquém do que poderia", considerou o canhoto de Tietê e seguiu: "Sempre gosto de jogar aqui, talvez tenha me colocado muita pressão de ir bem aqui e as coisas não estavam saindo como eu esperava".

banner
banner