X

Ferrero afirma que recordar seu passado tem sido importante para Alcaraz

Sexta, 15 de abril 2022 às 08:10:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O ex-número 1 do mundo, Juan Carlos Ferrero, celebra nesta semana os 20 anos de seu 2 título do Masters 1000, primeiro de dois conquistados em Monte Carlo e ressalta importância de suas experiências para ajudar o pupilo Carlos Alcaraz.



Ferrero é destaque do episódio 'Legado' promovido pela Tennis TV e a ATP e divulgado nas rede sociais (vídeo abaixo). Neste episódio, o bicampeonato de Ferrero (Juanki) em Monte Carlo (2002 e 2003) é recordado, com detalhes das duas finais.

Em 2002, Ferrero bateu o compatriota Carlos Moyá, campeão em Mônaco 1998 e que vinha de uma campanha muito sólida, com vitórias sobre o então número 1, Lleyton Hewitt, e o russo Marat Safin.

Naquela final, Juanki recorda com clareza detalhes como clima: "Estava muito quente e ventava muito, mas eu estava acostumado a jogar nessas condições". O espanhol também recordou da tática adotada para vencer Moyá, já que na época as finais de Masters eram decididas em melhor de 5 sets: "Lembro que meu backhand funcionou muito bem, eu precisava porque ele defendia a todo custo o próprio backhand", recordou Ferrero, que como o compatriota Moyá tinha como principal arma de jogo o forehand e venceu o agora treinador de Rafael Nadal em 7/5 6/3 6/4.

Já em 2003, recorda Juanki, que as condições foram bem distintas da anterior: "Lembro que teve um atraso por chuva. O dia estava escuro. Eles decidiram fazer a final em melhor de 3 sets por causa do clima".

"Eu me lembro de conversar com meu treinador [Antonio Martinez] de que a quadra estraria muito lenta e que Coria ia se defender ainda mais, disse vou forçar [ser agressivo] mais do que a forma como normalmente jogo. Então foi um jogo inacreditável da minha parte, não cometi erros, bati muitas bolas vencedoras e foi um jogo muito limpo pra mim", resumiu ele que bateu Coria, então considerado um dos maiores jogadores do saibro de todos os tempos, em 6/2 6/2.

Recordar em detalhes essas campanhas e jogos são, na opinião de Ferrero, importantes na formação de seu pupilo, Carlos Alcaraz, que aos 18 anos venceu seu primeiro título de Masters em Miami há duas semanas.

"Para ele, acho muito importante. Ele ainda está crescendo, ainda é muito jovem. Eu tento dar toda a minha experiência para ele. Conversamos, às vezes, sobre essas partidas, o que senti na época ou o que estava pensando antes de partidas importantes. Eu tento compartilhar as coisas que acho que ele mais precisará quando entrar em quadra", revelou.

Entre 2000 e 2003, Ferrero venceu 111 partidas apenas no saibro. Conquistou os títulos de Estoril (Portugal), Barcelona (Espanha) e Roma (Itália) em 2001, Monte Carlo (2002), Monte Carlo, Valência (Espanha) e Roland Garros (2003).  Em 2003, o espanhol chegou ao posto de número 1 do mundo ao vencer o americano Andre Agassi na semifinal do US Open, em que ficou com o vice. "Aquele foi o melhor ano da minha carreira", recordou.

banner
banner