X

Barty revela inspiração em Alcott e diz que fazer final em Melbourne 'é surreal'

Quinta, 27 de janeiro 2022 às 07:26:32 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Ashleigh Barty não escondeu a felicidade de se garantir na grande final do Australian Open e em entrevista em quadra após sua vitória sobre Madison Keys, revelou ter se inspirado em Dylan Alcott e exaltou o retorno de bons resultados de Keys.



Leia mais:

Barty domina Keys e vai à final do Australian Open pela 1ª vez na carreira

Ash é apenas a 3ª mulher do milênio a perder menos games em Slams

Barty ficou apenas 6h em quadra e lidera estatísticas positivas na Austrália

"Significa muito pra mim. Eu amo esse torneio, amo vir aqui e jogar. Como australianos, nós amamos jogar aqui, jogar no nosso quintal. Estou muito feliz de jogar meu melhor tênis aqui, não tinha conseguido antes, isso é surreal", declarou.

Questionadas sobre os desafios do confronto de semifinal, Barty destacou que as condições estavam diferentes, o clima estava mais úmido e por esta razão, explicou a atleta, a bola fica mais lenta, pesada junto as linhas. "Eu apenas tentei me adaptar, tentei fazer o máximo de bolas com as quais Maddie  [Keys] pudesse ter dificuldades no seu serviço, pois nessas condições o controle pode ser tirado de você com muita rapidez. Então, fui ponto a ponto".

Courier ainda questionou Barty sobre a campanha de Keys, que é sua amiga. "Nos deixa muito felizes vê-la de volta ao lugar que ela pertence. Ela é um ser humano maravilhoso. Ela é assim, ela deixou a quadra sorrindo, sabe que fez o seu melhor. Não importa o que aconteça em quadra, no fim ela vai te dar um cumprimento caloroso. Eu adoro isso nela. Nós todos a respeitamos e a amamos", declarou.

Ash Barty é mais uma australiana na final em casa. A chave de duplas masculina será decidida por duplas locais, enquanto na madrugada desta quinta-feira, o 'Australiano do Ano', Dylan Alcott ficou com o vice-campeonato de Quad do tênis em cadeira de rodas do torneio. "É incrível ser parte disso. Dylan é a razão disso. Ele inspira toda a nação, ele inspira pessoas com deficiência por todo o mundo", disse sendo interrompida  por aplausos do público ao tenista. Barty contou a Courier que assistiu a partida de Alcott junto a seu fisioterapeuta e que chorou durante o discurso do comaptriota.

Questionadas sobre a possível adversária, que sai do confronto entre a polonesa Iga Swiatek e a americana Danielle Collins, Barty declarou: "Vamos esperar o que acontece", após analisar que as duas adversárias serão diferentes, complicadas e que ela "precisará encontrar uma forma de ganha".

banner
banner