X

Portadora de má formação, britânica faz história e jogará o Australian Open

Quarta, 13 de janeiro 2021 às 14:15:07 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Aos 20 anos, a britânica Francesca Jones alcançou pela primeira vez na carreira a chave de um torneio do Grand Slam ao furar o torneio qualificatório do Australian Open. Seria um grande feito, mas tornou-se maior porque a tenista é portadora de EEC.



A sigla EEC é o nome comum para a Displasia ectodérmica, ectrodactilia e fissura lábio-palatal, uma má formação congênita de predominância rara em todo um mundo que consiste na má formação das mãos e dos pés e a presença de fissura lábio-palatal parcial ou total.

Por ser portadora da doença, a tenista que afirmou em entrevista ao jornal argentino La Nacion em 2017: "Tenho quatro dedos em cada mão. Quatro no pé esquerdo e três no direito", foi submetida a inúmeras cirurgias nas mãos e nos pés durante toda a sua vida.

O sonho de ser tenista também esteve ameaçado, quando seu médico disse que ela nunca poderia competir em alto nível: "Eu disse a ele: 'Olha, você vai ver que posso sim'".

Ainda na entrevista ao veículo argentino, Jones contou que foi motivo de risadas, piadas e até bullying no circuito, mas nada disso a desmotivou. Aos 10 anos, a jovem se mudou para Barcelona atrás do sonho de ser tenista, uma década depois, após fazer 6/0 6/1 contra a chinesa Jiajing Lu, Jones dá mais um passo importante em sua carreira e disputará seu primeiro Grand Slam.

A doença nunca foi um impeditivo para Francesca Jones: "Cada pessoa tem as suas coisas a que e superar, essa é a minha. Estou jogando tênis, mas poderia estar fazendo qualquer coisa".

Após se garantir na chave principal da Austrália, Jones não escondeu a felicidade: "Estou muito feliz de  me classificar para a Austrália e tenho muita vontade de ir à Melbourne. Nunca estive lá e estou certa de que será uma experiência incrível".

Confira a entrevista da então tenista juvenil ao La Nación:

banner
banner