X

Djokovic afirma que prioridade é fazer com que todos possam viajar ao US Open

Quinta, 18 de junho 2020 às 12:40:32 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

A Eurosports divulgou trechos da entrevista dada pelo número 1, o sérvio Novak Djokovic, ao podcast da rede, Tennis Legend, que tem apresentação do sueco Mats Wilander e do espanhol Alex Corretja. Nole afirmou estar "extremamente feliz" com retorno do tênis.



"Estou extremamente feliz e animado ao ver que todos os torneios, especialmente Grand Slams, estão organizando seus eventos", pontuou o tenista no episódio que vai ao ar nesta sexta-feira.

"Eu acho que muitas pessoas eram céticas, especialmente a respeito dos eventos dos Estados Unidos, considerando o que eles passaram a ser o principal (em número de atingidos pela doença) país durante essa pandemia. Então, muitas pessoas, incluindo a mim, estavam bastante céticas quanto a isso acontecer ou não", pontuou.

"Estamos muito contentes que isso esteja acontecendo, é claro, e é muito importante que ofereçamos oportunidades, empregos e oportunidades para os jogadores competirem. Porque no fim das, é isso que fazemos! Como profissionais de tênis, amamos o esporte, somos apaixonados por ele. Sentimos falta de competir e viajar e, no final do dia, sentimos falta de estar em turnê. Então, acho que essa é uma notícia muito positiva", pontuou.

O sérvio ainda falou sobre as diferentes condições globais da pandemia, que podem inviabilizar a viagem de alguns atletas, em especial os sul-americanos: "Obviamente, os regulamentos e medidas a partir de hoje são bastante rigorosos, devo dizer. Com quarentena e com alguns jogadores, especialmente os da América do Sul, não podendo viajar para fora de seus países para ir aos Estados Unidos. Espero que isso mude: a ATP e a USTA estão trabalhando nisso, o pior cenário é que permanece assim, mas há tempo".

"Espero que todos os jogadores participantes, escolhidos por ranking e que merecem seu lugar no US Open, tenham a mesma oportunidade de viajar para lá e competir como todos os outros. Isso é muito, muito importante porque é a base do ATP e a fundação do tênis internacional", seguiu.

"Todos nós tentaremos coletivamente garantir que essa seja a prioridade. Vamos torcer para que nos próximos dois meses algumas dessas restrições diminuam um pouco e que tenhamos um ótimo torneio", concluiu.

 
 

banner
banner