X

Delbonis revela segredo da conquista da Davis: 'Respeito entre os jogadores'

Terça, 28 de fevereiro 2017 às 01:44:39 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Ariane Ferreira - O argentino Federico Delbonis está outra vez em São Paulo, onde foi campeão em 2014. O argentino bateu um papo rápido com Tênis News e revelou segredos da conquista na Copa Davis e falou da importância de Juan Martín Del Potro.



Orgulhoso de marcar a história do tênis em seu país, Delbonis começou o papo sobre Copa Davis, falando de seu último ponto, que deu à equipe Celeste a tão sonhada 'Saladeira': "Foi emotivo. Muitas vezes eu vejo aquele ponto, diferentes vezes, quando amigos me mandam ou mesmo repasso [mentalmente]. O que vivemos em toda a Argentina foi emocionante, aos poucos vamos conhecendo a magnitude deste feito, vamos o aproveitando cada vez mais e vamos tomando consciência do que fizemos para nosso país".

Federico Delbonis, que conquistou seu primeiro título ATP em São Paulo, acredita que ter o título da Davis ajudará a fomentar ainda mais tênis: "Esperamos que sirva para o futuro, inspirar meninos que vão jogar tênis ou se empolguem com o tênis. Esperamos que tenhamos mais jogadores dentro do top 100", falou ele sobre o título que seu país tanto perseguiu, sempre apresentou grandes resultados, mas seguia sem vencer .

Questionado sobre o que houve de diferente nesta equipe argentina na disputa da Copa Davis em detrimento de outras, recheadas de grandes talentos e cheia de polêmicas e desavenças, Delbonis revelou o segredo: "Não posso falar para você do que aconteceu antes. Eu não estava lá. Mas eu posso falar pra você o que temos na Copa Davis desde que comecei a fazer parte da equipe. Foi algo visivelmente muito normal e comum, que foi: 'tratar de nos respeitar entre os jogadores' e isso é muito complicado".

"Parece fácil de dizer, mas é complicado porque sempre no circuito você está só e tem seu treinador ou uma equipe, sempre por trás de você. Já na Copa Davis, são quatro jogadores e cada jogador precisa se moldar a circunstâncias em que no circuito no está acostumado. Esta, acredito eu, foi uma das coisas mais importantes. Todos os jogadores que lá estivemos soubemos captar esta mensagem e colocá-la em prática e foi muito importante para nós respeitar entre si e sabermos que como equipe éramos muito mais perigosos do que como jogadores em simples", prosseguiu.

Em meio a grande campanha argentina na Copa Davis ocorreram os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e a medalha de prata conquistada por Del Potro em simples agitou o país vizinho. Entretanto, de acordo com Delbonis, tamanha comoção e conquista não foram inspirações diretas para a conquista da equipe: "A verdade é que, obviamente, sabemos a capacidade que tem Juan Martín. Foi  ele quem nos guiava a todos os momentos por sua experiência e também pelo seu nível. E nós sempre estivemos com os pés no chão. Jogando série a série. Se você pensar que estivemos na maioria delas de visitante, não éramos favoritos em nenhuma delas... Mas com o trabalho e boa orientação prévia, fomos levando das coisas, superando as adversidades tanto das quadras quanto do adversário e usar isso tudo a nosso favor".

Mais experiente que Delbonis, Carlos Berlocq foi apelidado de 'Gladiador' pelos torcedores argentinos pela forma como luta em quadra, principalmente em partidas da Copa Davis. A Delbois perguntamos de Berlocq é alguém no qual o time precisa se inspirar: "Todos nos motivamos entre todos. Não sei se há um referencial. Claro que Charly por seu modo de jogar e dar tudo, nos ensina. Mas nós todos vamos dar nosso melhor e nos entregar. Todos demos o melhor para a Copa Davis. Por isso, inclusive, vencemos. Estamos felizes que cada um deixou tudo ao representar nosso país", considerou.

banner
banner