X

Bellucci despenca e sai do top 50, mas Rio ainda não corre riscos

Quarta, 18 de maio 2016 às 12:39:34 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Devido ao apagão desta manhã em Genebra, contra o argentino Federico Delbonis, o brasileiro Thomaz Bellucci, número 1 do Brasil, somou apenas 20 dos 250 pontos defendidos na Suíça, caindo do 39º ao 57º posto da ATP.



Leia Mais:

Rogerinho sonha com vaga olímpica: "Seria surreal"

Veja a lista olímpica masculina!

Nas próximas duas semanas, o paulista de Tietê disputa o Torneio de Roland Garros, em que defende mais 45 pontos, equivalente à segunda rodada de 2015, quando perdeu para Kei Nishikori.

Em caso de derrota, o brasileiro somará apenas 10, caindo aos 790 pontos.

Hoje, como visto nesta lista, elaborada por Fabrizio Gallas, do TÊNIS NEWS, levando em conta que 56 jogadores têm vaga direta garantida na Olímpiada e considerando os fatos de que cada país não pode ter mais de 4 jogadores no Torneio Olímpico e alguns tenistas que teriam direito à vaga já anunciaram que não virão à cidade maravilhosa, o corte para o Rio-2016 fica no 67º da lista masculina, o americano Taylor Fritz.

De acordo com o ranking de hoje, 790 pontos, pior perspectiva para Thomaz Bellucci no dia 6 de junho, levam um jogador à 60ª colocação. Assim, Thomaz não correria, à princípio, riscos de ficar fora do Complexo Olímpico de Tênis, na Barra da Tijuca. Mas é bom lembrar que os tenista com ranking mais baixo também jogam nestas poucas semanas restantes, e devemos ficar de olho.

ROGERINHO

Em grande fase, o brasileiro Rogério Dutra Silva, 85º melhor colocado, é, hoje, o 8º alternate para o tênis no maior evento esportivo do mundo, ou seja, conta com oito desistências para juntar-se às estrelas do espetáculo.

O também paulista está a somente 56 pontos de Fritz e ainda disputará Roland Garros, onde tem vaga garantida na chave principal. Caso perca nas duas primeiras rodadas, Rogerinho jogará o Challenger de Prostejov, na República Tcheca, na segunda semana do Grand Slam francês.

Na prática, Dutra Silva precisaria marcar, por enquanto, 69 pontos, já que desconta 12, correspondentes a seu 18º resultado (Kitzbuhel, na Áustria). Uma vitória em Paris lhe daria 45, e uma inédita vaga na terceira rodada do major selaria a participação do brasileiro na festa carioca. Mesmo que o tenista não vá bem e perca na estreia na cidade-luz, ele ganha a vaga se vencer o torneio Challenger da semana seguinte ou fizer segunda fase na França e semi na República Tcheca. Vamos torcer!

banner
banner