X

Murray: 'Quero que minha filha sinta orgulho de mim quando crescer'

Segunda, 29 de fevereiro 2016 às 17:13:57 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O segundo melhor tenista do mundo, Andy Murray, tem um motivo a mais - e muito mais importante - para continuar escrevendo seu nome na história do tênis mundial. A pequena Sophia Olivia, que nasceu no último dia 7 de fevereiro em Londres.



Pai recente, o vice-campeão do Australian Open está em casa ajudando a esposa Kim e também treinando para a disputa da Copa Davis, neste final de semana.

E foi em um destes treinos, que o escocês concedeu sua primeira entrevista após o nascimento de Sophia ao jornal The Guardian, onde falou sobre como está sendo ser pai e o que deseja para si e sua família a partir de agora.

Murray começa a entrevista comentando o quanto sua pequena mudou fisicamente desde o dia em que nasceu: "Você não nota isso estando lá todos os dias, mas olhando fotos do dia em que ela nasceu, cinco dias depois e agora, você vê muitas mudanças desde então", disse.

Murray conta que não teve o drama comum de pais de primeira viagem para pegar a filha no colo, mas destacou que ela é muito pequena e parecia-lhe muito frágil e por isso tinha receio com pensamentos de que poderia 'quebrá-la' e pontuou: "Muitas pessoas me disseram 'bebês são mais resistentes que você pensa. Eles não vão quebrar', relembrou o escocês que destacou que com o passar dos dias foi sentindo-se mais "confiante" para tê-la nos braços.

O atual campeão olímpico destacou que tem sentido-se motivado a treinar desde que a filha chegou e pontuou que vê que ser pai e viajar o mundo funciona pontuando Novak Djokovic, pai do pequeno Stefan, e Roger Federer pai de quatro crianças: Myla, Charlene, Leo e Lenny, com exemplo.

“Para os demais jogadores não tem funcionado tão bem. Mas (ser pai) é uam coisa positiva - o tênis não ser mais sua prioridade pode ajudar. Ele empresta perspectivas quando você tme uam derrota ou um treino ruim. O resultado do jogo não é tudo, mas eu quero que minah filha seja orgulhosa do pai  quando crescer e ver o que fiz. Espero que eu trabalhe isso de uma maneira positiva em quadra, mas se não der, não é o fim do mundo", destacou.

 

banner
banner