X

Brasil derrota a Venezuela e vai às quartas do Mundial de Beach Tennis

Quarta, 06 de outubro 2021 às 23:06:41 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

A Seleção Brasileira empolgou a torcida na noite desta quarta-feira e superou a Venezuela por 3 a 0, garantindo assim a classificação para as quartas de final da ITF Beach Tennis World Cup, na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.



O tempo melhorou na capital carioca, o público fez compareceu e empurrou o time nacional para a vitória. Joana Cortez, ex-número 1 do mundo, e Rafaella Miller, atual 2ª colocada, derrotaram Patrícia Diaz, terceira da ITF, e Lady Correa, por 6/4 6/2. Em seguida, André Baran, 6º do mundo, e Vinicius Font, 8º, passaram por Ramon Guedez e Carlos Vignon, vencendo uma eletrizante batalha com 4/6 6/1 10/7. Nas duplas mistas Baran e Miller superaram Diaz e Eduardo Garay com 3/6 6/0 10/2.

"O jogo começou um pouco tenso naquele início, sabíamos que seria um jogo duro até porque elas são grandes jogadoras. A Paty, que joga com a Rafa, veste a camisa da Venezuela. Demoramos para entrar na estratégia, elas tiveram oportunidade de abrir um 5 a 2, acabou virando 4 a 3, mas jogamos bem nos momentos certos, com o apoio da torcida", disse Cortez.

Rafa Miller tem como parceira habitual no circuito Paty Diaz e comentou como foi enfrentá-la: "É a pergunta que não cala. Claro que a gente se conhece super bem, mas quando se entra dentro de quadra não se pode pensar nada de fora e sim focar na estratégia, no jogo e no que precisamos fazer. Consigo separar muito bem e foi isso. Agora foi Brasil contra Venezuela."

Vini Font, primeiro não-italiano a liderar o ranking, em 2015, e atual oitavo colocado, destacou a força do time e da torcida que empurrou a equipe: "Jogar contra Venezuela é sempre complicado, eles costumam estar no nosso caminho nos mundiais, além de adversário são grandes amigos. Hoje foi a vitória no coração, conseguimos mostrar que somos Brasil", vibrou.

O Brasil, tricampeão da Copa do Mundo e vencedor das duas últimas edições em 2018 e 2019, vai encarar a Alemanha nesta quinta-feira a partir das 18h com transmissão do Sportv 3 e da NSports (https://beachtennisworldcup.tvnsports.com.br/)  em jogo que vale o primeiro lugar do Grupo B. Os germânicos fizeram 3 a 0 no México.

O confronto colocará frente a frente Miiller e a Maraike Biglmaier, que foram campeãs mundiais juntas em 2019 em Terracina, na Itália: "Só estou enfrentando a ex-parceira. A maioria das pessoas que estão no circuito se conhecem não só por eu ter jogado ao lado da Maraike, mas todos se conhecem. É entrar focada na estratégia que precisamos fazer.”

Pelo Grupo A, a Itália carimbou seu passaporte rumo às quartas de final ao vencer por 3 a 0 o Japão e a França garantiu a vaga ao virar duelo contra o Equador por 2 a 1. Os dois países se enfrentam pelo primeiro lugar da chave.

Marco Garavini, uma das lendas do Beach Tennis com 61 conquistas e dois títulos Mundiais de Dupla Masculina, sonha enfrentar o Brasil na final: "Hoje foi uma boa vitória. Fomos treinar no fim do dia para nos adaptarmos melhor à quadra central. Estamos buscando chegar bem para bater todas equipes para alcançar vaga na final. Quero enfrentar o Brasil e quero vencer. Tenho expectativas", disse.

No Grupo C, a Espanha marcou 2 a 1 sobre Portugal e o Chile fez 3 a 0 sobre Curaçao. Os dois países se garantiram nas quartas e decidem a liderança da chave. No Grupo D, a Rússia marcou 3 a 0 sobre Porto Rico e encara Aruba na rodada final com os dois já classificados. O time caribenho fez 2 a 1 contra a Bulgária.

Brasil esquenta caldeirão e se classifica à semi no juvenil

O dia foi de vitória sobre os venezuelanos também no juvenil. O Brasil marcou 3 a 0 na quadra 1 lotada. O mini-caldeirão empurrou nossos jovens talentos rumo ao triunfo e nesta quinta eles enfrentam a Federação Russa pela liderança do grupo na quadra central a partir das 13h30 nesta quinta-feira com transmissão da NSports.

No primeiro jogo, as paranaenses Vitória Marchezini e Antonia Thompson derrotaram Heika Rodriguez e Valentina Negrillo por 6/1 6/4. Na sequência, o paulista Daniel Mola e o paranaense Giovanni Cariani marcaram 6/4 6/1 sobre Luis Araújo e Carlos Fernandez.

Na dupla mista, Marchezini e Cariani derrotaram Felix Cuadro e Rodriguez por um duplo 6/0. “Muito gostoso jogar, seja com torcida a favor então nem se fala, passam uma energia muito boa para a gente. Nos momentos difíceis, então, o pessoal faz um caldeirão e puxa energia para gente”, disse Cariani, de 18 anos, 86º do mundo. Na semana passada, no BT 200 de João Pessoa, ele derrotou a dupla número 1 do Brasil e titular do profissional na Copa do Mundo, André Baran e Vinicius Font. Cariani formou dupla com Ralff Abreu.

Daniel Mola, 64º do mundo, vem embalado por títulos em Campinas (SP), Arapongas (PR) e Maceió (AL) adicionou: “Sensação foi das melhores vibração forte é o que mantém pra ser maior e melhor e a energia lá no alto.”

Marchezini, número 21 do mundo no profissional e de apenas 15 anos, projetou o duelo contra o time russo: "Será um confronto bem difícil, os russos vêm muito fortes, mas aqui todo mundo vai dar o máximo e ir com tudo amanhã e na semifinal e tentar trazer o título.”

Capitão brasileiro, Juca Russo destacou a forte seleção do Brasil e a busca pelo título inédito no juvenil: “Desde 2017 o Brasil vem se desenvolvendo. Sempre temos boas referências dos nossos atletas profissionais que dão um bom norte para isso, estamos com uma equipe forte demais, bem experiente e temos todas as condições de brigar pelo lugar mais alto do pódio.”

banner
banner