X

Orlando Luz acompanha o Taroii Juniors Cup, destaca lembranças do juvenil

Quinta, 30 de setembro 2021 às 11:35:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Atleta da ADK Tennis, do Itamirim Clube de Campo, em Itajaí (SC), Orlando Luz está em preparação para a parte final da temporada e entre um treino e outro vem acompanhando a disputa do Taroii Juniors Cup, torneio juvenil com pontos no ranking da Federação Internacional de Tênis e que conta com a parceria da Confederação Brasileira de Tênis e da Federação Catarinense de Tênis.



Orlando brilhou como juvenil vencendo Banana Bowl, a antiga Copa Gerdau, semi de Roland Garros e ocupando o topo do ranking. Atual 292 do mundo no profissional e no top 100 de duplas, ele lembrou da época passada e vem aproveitando a semana para repassar sua experiência para os jovens e as crianças: "Bate muita saudade. Começo da semana eu treinei e fiquei até mais tarde no clube acompanhando os jogos, coisa que eu não faço . Foi a época que mais me divertia nos torneios vendo essa criançada dando risada, sem tanta preocupação , eles só querem jogar, estar em quadra , mais pra frente passa a virar trabalho e se perde um pouco a essência . É bem legal estar no meio das crianças, poder conversar com elas , passando minha experiência para eles, quando eles vêm e perguntam alguma coisa sou o primeiro a responder , passar a ideia de como é a vida de profissional ou como que fiz essa transição do juvenil, todos têm muitas curiosidades, isso me deixa muito feliz. Não tenho muito isso no dia a dia. Ver os jogos, dar uma força pros atletas do Itamirim, é importante pra eles" , apontou o tenista de 23 anos que teve recentemente sua primeira experiência defendendo o Brasil no time titular da Copa Davis. Ele venceu o primeiro jogo no confronto contra o Líbano fora de casa onde saíamos vencedores e buscaremos a vaga na elite em 2022.


"Tive algumas oportunidades de estar com a equipe alguns anos como o quinto jogador ou juvenil ganhando experiência. Dessa vez foi diferente, ter iniciado jogando o confronto era um peso muito muito grande. A gente sabia que sair 1 a 0 acima ou abaixo faria muita diferença mentalmente para o grupo então me vi numa oportunidade muito boa de provar do porquê estava lá . Graças a Deus foi pro meu lado, me mantive bem, sempre estive na frente, um pouco de nervosismo na hora de fechar , até normal pra quem está jogando pela primeira vez , saí com a vitória. Time inteiro ganhou, , clima muito bom até porque são todos meus amigos. Não só como evento, mas a equipe, o time, esse primeiro contato com o Jaime Oncins (capitão), Marcos (Daniel) como treinadores foi uma coisa muito legal para minha carreira".


Orlando não se deslumbra com a experiência e está com os pés no chão focado nos últimos compromissos do ano. Ele treina esta e mais duas semanas com a equipe da ADK Tennis até viajar para os torneios de Bogotá, Colômbia, e Lima, no Peru. E finalizará o ano com Montevidéu, no Uruguai, e a sequência de challengers no Brasil em novembro e dezembro.


"Com certeza são coisas positivas, que acrescentam. Aproveitei minha chance, vivi minha primeira semana de Copa Davis onde são poucas pessoas que têm essa oportunidade , mas agora é pé no chão e começamos do zero de novo," apontou: "Agora oportunidade muito boa de jogar na América do Sul e no Brasil. Esse ano passei cinco meses na Europa por essa questão."


Orlando tem pontos importantes a defender na reta final de 2021 e não coloca metas ousadas de ranking, apenas querendo se manter no top 300 de simples e entre os 100 do mundo nas duplas: "Tenho muitos pontos a defender nesse final de ano, tenho que defender alguns títulos . fico bem tranquilo e não quero passar por cima de nenhum degrau . Caso eu consiga resultados maiores nessa gira quem sabe chegar até o quali do Australian Open e caso não consiga, sem nenhum pavor, vou buscar entrar no quali de Roland Garros".


O avanço no ranking nas duplas também não muda os planos do atleta que segue focado nas simples: "A prioridade segue sendo as simples. Se tivesse focado nas duplas estaria com ranking melhor, jogando os ATPs. Não estou preocupado com isso, sou bem jovem. Meu sonho e vontade é jogar simples e sei que tenho muito tempo para estar disputando as duplas. Se Deus quiser vou baixar meu ranking para jogar nível ATP de simples e conseguir engrenar e subir mais nas duplas também."


O Taroii Juniors Cup tem o patrocínio da Taroii Investment Group, e Promenac Veículos, os co-patrocínios CORE - Clínica de Ortopedia e Reabilitação Esportiva / Marcelo Pfitzer - Fisioterapia / Fort Atacadista e parcerias da FMEL - Fundação Municipal de Esporte e Lazer Itajai, Confederação Brasileira de Tênis e Federação Catarinense de Tênis. O torneio tem as chancelas também da Federação Internacional de Tênis e da Confederação Sul-Americana de Tênis, o Cosat.

banner
banner