X

Paire diz que jogou na Alemanha mesmo estando positivo para COVID-19

Quarta, 23 de setembro 2020 às 09:30:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Após se retirar a partida de segunda rodada em Hamburgo, na Alemanha, onde foi derrotado pelo norueguês Casper Ruud, o francês Benoit Paire afirmou ter testado positivo para COVID-19 e mesmo assim ter sido autorizado a jogar. Paire quer explicações da ATP.



O francês conversou com os jornalistas locais após desistir da partida e as respostas, em transcrição do diálogo em inglês, foram compartilhadas pelo jornalista local Jannik Schneider. No diálogo, o francês afirmou estar "cansado de ficar apenas em seu quarto, sair para treinar por 1h e então retornar ao quarto de hotel". Paire disse que ser impossível ficar neste sistema por muito tempo e foi este cansaço que o fez desistir da partida quando já tinha 6/4 2/0 abaixo no placar.

Questionado se testou positivo para COVID-19 em Hamburgo, tal como aconteceu em Nova York o que o tirou da disputa do US Open, antes mesmo do torneio começar, Paire surpreendeu:

"Sim, eu testei positivo aqui em Hamburgo desde que cheguei. O único resultado negativo que tive foi ontem. Antes disso, os dois anteriores foram positivos, mas parece que aqui as regras são diferentes. Então a ATP tem que explicar quais são as regras, porque em Paris, agora, eu vi jogadores que mesmo testando positivo não puderam jogar porque seus treinadores testaram positivo. Então, eu agradeço ao torneio e seu médico de que pude jogar, mas há regras que eu não consigo entender", revelou.

O tenista foi questionado se o teste em Nova York havia sido um falso positivo, porém não conseguia afirmar tal coisa. "Nós não sabemos se o teste nos Estados Unidos foi um falso positivo. Nós apenas sabemos que eu testei negativo em Nova York, na França, em Roma e aqui em Hamburgo foi positivo. Isso é tudo o que sei. Cheguei aqui e eles me mandaram ficar no quarto. Eu realmente não sei. Só sei que é realmente difícil pra mim, porque já falei com médicos franceses e a chance de eu testar positivo em Paris é de 50%, porque ainda tenho o vírus no meu corpo. Toda a noite eu vou dormir e daí me dizem talvez você seja positivo, talvez negativo, talvez possa jogar, talvez não. Pra mim, minha vida não está nada interessante no momento. A única coisa que eu quero é acabar a temporada e ir pra casa", desabafou.

Paire revelou ter conversado com os organizadores de Roland Garros para explicar a situação e percebeu que as regras são diferentes entre os países. De acordo com o tenista, ele já está avisado de que não poderá competir caso teste positivo em Paris. "Há coisas que eu realmente não entendo", lamentou o francês.

 

banner
banner