X

O que me faz feliz é competir saudável e não o Nº 1, afirma Nadal

Sexta, 11 de maio 2018 às 15:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O espanhol Rafael Nadal conversou com a imprensa só ser derrotado pelo austríaco Dominic Thiem nas quartas de final do Masters 1000 de Madri, na reedição da final de 2017, e explicou com detalhes táticos porque saiu derrotado na Caja Mágica.



"Hoje, não fui bom o suficiente. Ele foi melhor. Há dias em que não se joga como gostaria. Acredito que não senti bem o suficiente a bola para fazer com que ele estivesse incômodo para devolvê-la. O fato da bola aqui ser mais rápida o favorece pois ele bate com muito efeito. Hoje não estive bem nem com forehand e nem com backhand", explicou o espanhol no inicio da entrevista coletiva pontuando como deveria ter atuado em quadra.

"Uma das bases do jogo foram quando eu pegava com meu backhand para seu forehand, nunca estive em condição de entrar em quadra e abrir para bater o backhand mais fácil", seguiu Rafa. "Sempre tinha tempo de dar a volta com seu forehand e  bater em posições onde fica mais confortável e assim ficava difícil de pressioná-lo. Ele tem muita força, bate forte e assim é difícil entrar em quadra e fazer muito. Aqui você sente a bola escapar da raquete mais que em Barcelona ou Monte Carlo e ele se adaptou melhor a isso. Meu jogo não foi bom. Nos próximos dias tenho que analisar o que aconteceu e corrigir para o próximo torneio",disse.

Nadal também comentou a perda do posto de número 1 do mundo para Roger Federer  na próxima segunda-feira e destacou que ficou quase cinco meses sem competir direito: "É difícil manter o número 1 assim. Desde Xangai até Monte Carlo não havia terminado nenhum torneio. São muitos meses perdidos. Por mais que sigas no decorrer do ano, não se pode manter o número 1. No fim do ano veremos como será. O que me faz feliz é estar saudável e que posso competir, não o número 1".

Rafa pontuou  ainda que venceu 50 sets consecutivos no saibro e isso demonstra que não está com tudo errado e precisa recomeçar do zero: "Me resta felicitar a Thiem porque ele mereceu a vitória. Desejo-lhe o melhor na sequência do torneio", finalizou.

banner
banner