X

Raducanu: muito além de um troféu em Nova York

Domingo, 12 de setembro 2021 às 10:33:50 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Gustavo Loio - Nunca na história do tênis um(a) atleta havia saído do qualifying rumo ao título de Grand Slam. A britânica (nascida no Canadá, filha de mãe chinesa e pai romeno) Emma Raducanu foi além disso. 



Ela conquistou, aos 18 anos, o US Open sem perder sets. Contra a também adolescente canadense Leylah Fernandez, de 19 anos, se faltou experiência, sobraram emoção, altíssimo nível técnico, reviravoltas e grandes jogadas, com placar final de 6/4 e 6/3. Que final!

 

Desde 1968 que uma britânica não erguia o cobiçado troféu em Nova York. A última foi Virgínia Wade, presente à decisão deste sábado e reverenciada pela nova campeã. Em 1977, Wade havia vencido o último Slam no feminino para a Grã-Bretanha.

 

A última a erguer o troféu na cidade americana sem ceder sets foi ninguém menos do que a anfitriã Serena Williams, em 2014. E Raducanu é a mais jovem desde 2004 a ganhar um Slam. Naquela temporada, aos 17 anos, a russa Maria Sharapova triunfou em Wimbledon, derrotando Serena na final. 

 

O primeiro título da carreira da britânica lhe garante um salto do 150° lugar no ranking para o 23º. A nova campeã de Slam nasceu em Toronto e, aos dois anos, se mudou para Bromley, ao Sul de Londres. Ela começou no esporte três anos depois.


Muito carismática e com bastante personalidade, Raducanu alia um tênis de muita força nos golpes, excelente movimentação e saques potentes. Não por acaso, cativou o público americano. Que espetacular ver duas jogadoras tão jovens e com tanto talento numa final de Major. Essa renovação faz um bem enorme à modalidade e, certamente, vai inspirar novas gerações. 

 

Apesar da derrota, Fernandez foi ovacionada na premiação como raramente se vê. Ela merece. Derrotou 3 top 5 em Nova York e chegou à primeira decisão de Slam na carreira.

Agora, só nos resta torcer para que Emma e Leylah sigam encantando o público como fizeram nas últimas semanas.

 

O tênis agradece.

 

 

Sobre Gustavo Loio 

 

Jornalista formado em 1999 e pós-graduado em Assessoria de Comunicação, já trabalhou com Gustavo Kuerten. E, também, nas redações da Infoglobo (O Globo, Extra e Época), do Diário Lance! e do Jornal O Dia, além do site oficial do Pan de 2007, no Rio.

banner
banner