X

Melo vê saldo positivo apesar de derrota em Munique

Sexta, 04 de maio 2018 às 16:52:39 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Marcelo Melo e Lukasz Kubot, cabeças de chave número 1, foram eliminados nesta sexta-feira (4), na semifinal do ATP 250 de Munique, na Alemanha. O croata Nikola Mektic e o austríaco Alexander Peya – cabeças 3 - marcaram 2 sets a 1, de virada, parciais de 2/6 7/6 (7/4) 10/5, em 1h41min, para chegar à final. Agora, Melo e Kubot seguem para a Espanha, onde defendem o título do Masters 1000 de Madri, que começa neste domingo.



"Foi mais um belo jogo. Conseguimos jogar bem, especialmente o primeiro set. No segundo, eles aproveitaram a oportunidade de sair na frente. Conseguimos voltar, no 5/4, em mais um bom game. O tie-break também foi muito bom, cometemos apenas um erro. E no match tie-break, a mesma coisa, jogamos vários bons pontos. Então acho que foi produtiva a partida. Eles formam uma dupla perigosa e vem jogando muito bem", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro, BMG e Itambé, com apoio da Confederação Brasileira de Tênis.

"Estou muito satisfeito como evoluímos aqui em Munique. Nosso objetivo era vir, fazer alguns jogos, pois a altitude é praticamente a mesma de Madri. Saímos, logicamente, com mais confiança do que quando chegamos. Mesmo querendo o título, sabemos que foi muito bom ter vindo. Agora é foco total em Madri, para onde estamos indo amanhã (sábado)", completou.

Melo e Kubot começaram o jogo com a mesma força e confiança mostradas no dia anterior, quando garantiram vaga na semifinal. Quebraram duas vezes o serviço de Mektic e Peya, dominando o set e vencendo por 6/2 em 35 minutos para sair na frente na partida. Na segunda série, os adversários conseguiram o break logo no início, fazendo 1/0. E o jogo seguiu assim até o décimo game, quando Melo e Kubot devolveram a quebra e empataram em 5/5. A definição foi para o tie-break. Os adversários, com um mini-break a mais, marcaram 7-4 para vencer por 7/6. No match tie-break, as duas duplas mantiveram seus serviços até o empate em 5-5. Mektic e Peya conseguiram, então, a quebra, e a partir de então não perderam mais pontos para fechar em 10-5.

Na sequência, a partir deste domingo, Melo e Kubot disputam o Masters 1000 de Madri, torneio em que foram campeões em 2017, seguindo depois para Roma, na Itália, até chegar a Paris, na França, no final deste mês, para o segundo Grand Slam do ano, Roland Garros.

Melo ocupa a segunda colocação no ranking mundial individual de duplas, com Kubot em primeiro. Eles empatam em número de pontos, 7.870, mas pelo primeiro critério de desempate - torneios disputados ao longo de 52 semanas -, o mineiro tem uma competição a mais - 24 contra 23 de seu parceiro polonês. Marcelo é o recordista brasileiro em número de semanas no topo do ranking ao longo da carreira, com 56.

Dezenove partidas, 12 vitórias e o primeiro título da temporada em Sidney – O brasileiro Marcelo Melo, 34 anos, e o polonês Lukasz Kubot, 35 anos, estão jogando juntos desde o início da temporada 2017. Antes, formaram parceria em torneios como o ATP de Viena, onde foram campeões em 2015 e 2016. Em 2017, a dupla Melo e Kubot disputou 24 torneios, conquistou seis títulos, venceu 51 jogos, com apenas 18 derrotas. Entre essas vitórias está a 400ª da carreira do brasileiro, obtida na estreia em Roland Garros.

Em 2018, até agora, foram 19 jogos e 12 vitórias - quatro em Sidney, com o título do ATP 250, três no Australian Open, em Melbourne, ambos na Austrália, uma no ATP 500 de Roterdã, na Holanda, uma no Rio Open, no Rio de Janeiro, uma no ATP 500 de Barcelona e duas no ATP 250 de Munique.

banner
banner