X

Moya elogia Raonic: 'Tem um potencial ilimitado'

Domingo, 03 de janeiro 2016 às 09:57:48 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Carlos Moya, ex-número um do mundo e campeão de Roland Garros em 1998, viverá uma experiência inédita esse ano como treinador do canadense Milos Raonic. Em entrevista ao portal Punto de Break, o espanhol elogiou o novo pupilo e contou detalhes de como surgiu o convite e como será trabalhar com o atual 14º do mundo.



"Meu trabalho será de treinador na equipe de Milos juntamente com o (Ricardo) Piatti. Ricardo o conhece mais e estará com ele no dia a dia. Eu vou viajar com ele por 15 semanas no ano. Piatti comandará os treinamentos semana a semana em Monte Carlo (onde reside o jogador). Nos torneios irei me juntar à equipe. Em alguns irei sozinho, em outros apenas o Piatti, em outros será os dois", afirmou o ex-jogador, de 39 anos.

"Tenho contato com o Milos desde que trabalhava com Ljubicic. Seu empresário entrou em contato comigo e me explicou um pouco de seu projeto. Durante o IPTL nos conhecemos um pouco mais, trocamos ideias, treinamos juntos... depois a ideia ganhou corpo. Ele é um jogador com um potencial ilimitado e pode melhorar uma série de coisas em seu jogo. A perfeição é uma coisa que não existe nem no jogo de Federer, Nadal ou Djokovic, ainda mais em um jovem em formação como ele. Não há limites para seu jogo, e ele mesmo não os vê, o que me deixa animado e confiante", acrescentou.

Moya viverá sua primeira experiência como treinador no circuito, mas já exerceu o cargo de capitão de seu país na Copa Davis em 2014. Na Espanha, muitos apostavam que ele poderia se juntar à equipe de Rafael Nadal, seu conterrâneo e de quem foi mentor no início da carreira, mas ele assegura que a ideia nunca passou de especulação.

"Nunca me foi proposto nada. Creio que a equipe de Rafa (Toni Nadal e Francisco Roig) é muito sólida e isso é bem claro. Rafa gosta de ter tudo sob controle, sem novos fatores, com pessoas que conhece há muito tempo e que formam uma equipe que trabalha bem junta. Penso que vai acabar sua carreira com a mesma equipe, o que é bom para ele. Passou por um momento difícil e acho que fez bem em não mudar nada e sua equipe. Estou seguro que assim ele terá um grande 2016 e está muito motivado", opinou. 

 

 

banner
banner