X

Krejcikova presta homenagem à Novotna e celebra conquista

Sábado, 12 de junho 2021 às 16:55:26 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Primeira campeã tcheca em Roland Garros desde 1981, Barbora Krejcikova celebrou sua conquista neste sábado após derrotar a russa Anastasia Pavlyuchenkova, 31ª colocada, por 6/1 2/6 6/4 na decisão.



"Estou extremadamente contente. É um sonho que se tornou realidade claro. fica complicado falar todas as palavras e dar sentido a tantas emoções. Muito contente por ter controlado todas as situações da maneira que fiz. Creio que foi a chave em cima disso. Falei com meu psicólogo de novo antes do jogo, falamos muito. Tinha a intenção de que entrar em quadra já não teria pânico que tive em outras partidas. E assim foi. Muito feliz com isso", disse a tenista que irá ao top 15 após a conquista.

"É algo que sempre sonhei, ganhar aqui em Roland Garros. Meu primeiro título de duplas, depois mistas. Estava dizendo pra mim mesmo que fantástico seria vencer o troféu nas três categorias. Não posso acreditar no que estou vivendo".

A tenista comentou o que pode mudar em sua vida agora: "Não penso em mudar nada, fazer nada diferente do que vinha fazendo. Só seguir trabalhando duro. Esta supõe uma enorme motivação para voltar a trabalhar realmente duro, desfrutar do caminho, desfrutar do tênis e tudo em geral. Suponho que muitas coisas vão mudar ao meu redor, mas eu seguirei sendo essa garota de uma pequena cidade que jogava paredão".

A tenista lembrou da campeã de Wimbledon de 1998, Jana novotna, que morreu em 2017 por um câncer no ovário. Ela foi sua treinadora quando mais jovem: "Trabalhavamos juntos em vários aspectos, mas nunca tentei imitá-la. Penso que cada um é especial, isso é o que fiz. Trabalhamos muito nos slices. usaei muito nas últimas partidas e hoje também. É um golpe difícil de contra-atacar. Jana é especial para mim, claramente me disse 'vá e seja profissional'. Quando tinha 18 anos e terminei o juvenil, não sabia o que fazer. Teve um momento que me aproximei dela, fui em sua casa com meus pais para pedir um conselho. Foi muito amável comigo. Tivemos um vínculo especial e quando descobri que estava doente e depois não iria sair bem dessa, me dei contra de tudo que ela estava me dando. Toda sua experiência, muito de sua força e atitude. Me ensinou muito no final de sua vida. Sentia que tinha que estar lá com ela. Não controlei bem aquela situação, meus pais me disseram que não fosse mais vê-la, que me arruinaria com aquilo. Estou muito feliz agora por isso, creio que ela estaria também de me ver aqui. Ela, desde algum lugar, está cuidando de mim, quer me ver ganhar. Sabe o que significa para mim e eu sei o que significa para ela".

 

 

banner
banner