X
banner

Pella sagra-se campeão do Challenger Finals ao bater Ungur

Sábado, 01 de dezembro 2012 às 22:47:24 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariane Ferreira - O argentino Guido Pella, 124 do mundo, bateu o romeno Adrian Ungur, 112 do ranking, na final do ATP Challenger Tour Finals, torneio disputado em quadra rápida coberta e com US$ 220 mil em premiações. Ao devolver o 2 sets a 1 da fase de grupos, Pella chegará a sua melhor colocação no ranking com o título.

Quem foi ao Ginásio do Ibirapuera pôde conferir um bom jogo de tênis, disputado, cheio de alternativas e jogadas plásticas. Em 2h31 de partida, Pella fez 6/4 6/7(4) e 7/6 (4), convertendo seis aces a três do rival, que venceu 75% dos pontos em primeiro serviço contra 74%.

As mais de duas mil pessoas presentes ao Ginásio do Ibirapuera dividiram-se a respeito de seu favorito, já que a ausência de um brasileiro na final foi novamente sentida. A vantagem de Pella é que São Paulo tem uma grande comunidade argentina e ela foi em peso com bandeiras do país e com camisas de times de futebol.

Ungur, cabeça de chave 6 no torneio, chegou à chave do ATP Challenger Tour Finals com cinco vice-campeonatos em torneios challengers e um título, conquistado em casa, em Sibiu. Pella, cabeça 7, chegou a São Paulo com três títulos em torneios challenger, Manta e Salinas, no Equador, e Campinas, no Brasil.

O Jogo
No primeiro set, Pella comandou as disputas de bolas, foi mais agressivo e, por isso, iniciou a etapa em vantagem. O argentino abriu 3/0, contando com erros não-forçados de Ungur, que, mesmo usando seu jogo e indo à rede, não conseguiu fazer o que queria e viu Pella administrar o placar.

Na segunda etapa, o jogo foi outro. O romeno, que começou sacando, adotou uma postura agressiva e passou a ter resultado. Seus golpes afastaram o argentino da linha de base, o que tornou mais intensa a troca de bolas, mas facilitou para o tipo de jogo adotado por Ungur. No décimo primeiro game, o romeno encontrou dificuldades para fechar o serviço. No game seguinte, Adrian chegou a ter dois set points, o que levantou a torcida no Ibirapuera, que queria mais jogo, mas parou no forte saque do argentino, que levou a etapa ao tiebreak.

No tie break, Ungur dominou a disputa de pontos, sacando firme e contando com a instabilidade do argentino na recepção. O romeno abriu 6/3, para alegria da torcida, e fechou a disputa em erro não-forçado do argentino.

Já no terceiro e decisivo set, Pella abriu 3/0 jogando de maneira consistente e defendendo-se muito bem. Ungur passou a forçar o saque e tentou desestabilizar o argentino. Deu certo, no quinto game, com uma belíssima cruzada, chegou à devolução do breakpoint, conquistada em um erro não-forçado do argentino.

Daí em diante, ambos confirmaram seus games de serviço com certa dificuldade e levaram a partida a ser decidida em tie-break. O desempate se manteve como o set de disputa, com belas jogadas, até Pella chegar ao match point em erro não-forçado do romeno, que sentiu a pressão da torcida e cometeu seu segundo erro não-forçado.

Foto: Wander Roberto/Inovafoto
banner
banner