X
banner

Brasil vence nas duplas e faz 3 a 0 no confronto

Sábado, 05 de março 2005 às 17:37:50 AMT

Link Curto:

Brasil Davis
A primeira parte da meta brasileira em 2005, na Copa Davis, já está cumprida. A equipe capitaneada por Fernando Meligeni classificou-se para a segunda rodada do grupo 2 da Zona Americana, neste sábado, com uma vitória incontestável sobre a Colômbia, em Bogotá, por 3 jogos a 0.


O terceiro ponto foi conquistado pela dupla formada por André Sá e Bruno Soares. Eles derrotaram Pablo González e Michael Quintero por 3 sets a 1, com parciais de 6-3, 6-4, 2-6 e 6-1.

Os dois primeiros pontos da equipe foram marcados nos jogos de simples. Primeiramente, Flávio Saretta superou González por 3 a 1 e, depois, Ricardo Mello, melhor tenista do país no ranking mundial, bateu Quintero em um jogo que começou na sexta, foi suspenso por causa da chuva e só terminou hoje.

O complemento do confronto será neste domingo, às 12h (horário de Brasília). No primeiro jogo do dia, está marcado para Mello enfrentar González e, em seguida, Saretta desafia Quintero. No entanto, os capitães podem definir alterações até uma hora antes das partidas.

Na segunda rodada, o Brasil enfrentará o ganhador do confronto entre Bahamas e Antilhas Holandesas. A partir de agora, o time de Meligeni precisa de mais duas vitórias para subir para o grupo 1 das Américas, que representa a segunda divisão do tênis mundial, que é o objetivo final dos atletas.

O resultado também acaba com um jejum de dois anos sem vitória do Brasil na competição mais importante de seleções do planeta. Em 2003, a equipe, então comandada por Ricardo Acioly, foi derrotada pela Suécia, na primeira rodada do Grupo Mundial, e pelo Canadá, na repescagem, ambas as vezes por 3 a 2.

No ano passado, o país não pôde contar com os principais tenistas, que organizaram um boicote liderado por Gustavo Kuerten. No fim, a equipe teve três capitães e 12 jogadores diferentes nos três confrontos que disputou e acabou perdendo para Paraguai, Venezuela e Peru, ocasionando o segundo rebaixamento seguido.

Com o fim do boicote, que foi decidido em protesto contra a antiga administração da CBT (Confederação Brasileira de Tênis), o time nacional voltou a se fortalecer com Ricardo Mello, Flávio Saretta e André Sá. Guga só não foi à Colômbia porque está recuperando de uma nova cirurgia no quadril.

Diante da Colômbia, o Brasil não encontrou dificuldade. No saibro do clube El Rancho, nem mesmo a altitude da capital colombiana, que está 2.600 m acima do nível do mar, foi obstáculo, já que os anfitriões estavam desfalcados.

Sem Alejandro Falla, o melhor do país, contundido, e Carlos Salamanca, um especialista em duplas e que ficou fora por problemas entre seu patrocinador e a Federação Colombiana de Tênis, a equipe foi comandada por dois jogadores que não figuram nem entre os 400 melhores do mundo.

Mesmo assim, ainda fizeram frente aos brasileiros como no primeiro jogo, quando González ganhou um set de Saretta e esteve à frente no marcador da terceira série. Na partida de duplas, González e Quintero também assustaram ao ganharem o terceiro set. Mas, logo, a esperança deles acabou.

Fonte: UOL
banner
banner