X

Jogue Melhor - Os Prazos e Validades de cada Equipamento

Quarta, 01 de fevereiro 2012 às 09:51:54 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Paulo Muñoz, professor da Associação Americana de Tênis - Hoje vamos falar um pouco sobre o prazo de validade dos nossos equipamentos para a pratica dos esportes de raquetes como as cordas, os gripes, bolas e as raquetes. Quanto devemos usá-los ?

Começando pelas cordas, os tenistas amadores (chamados de fim de semana) devem respeitar o prazo máximo aceitável para a troca das suas cordas, mesmo que elas não se quebrem, de três a quatro meses, mesmo que se encordoe a raquete e o tenista sequer bata uma bola com ela, acima deste prazo, as cordas já terão perdido sua flexibilidade e tensão original, declinando significativamente a desempenho do seu jogo.

Para os tenistas mais competitivos, que jogam praticamente todos os dias, de um a dois meses, já é hora de fazer esta troca, mesmo sem a quebra da corda.

Tenha sempre uma anotação com a data da ultima troca para controlar este prazo.

Vale lembrar que um profissional de tênis efetua a troca das suas raquetes, em função do uso da corda a cada nove games!

Gripes e cushions são eternos ?

Os gripes quando muito utilizados desgastam perdendo sua aderência e/ou absorção.

Um jogador que sua muito na palma da mão deverá fazer uso dos gripes chamado Dry (absorção), que absorvem mais o suor. Será importante trocá-los no maximo entre 5 a 8 horas de uso, lembrando de diminuir este prazo no verão é claro. Os atletas que não suam na palma da mão podem fazer uso dos gripes modelo Tacky (pegada), mais emborrachados, mas que também deverão ser trocados aproximadamente de 8 a 10 horas de uso. Os cushions gripes (aquele que já vem na raquete), também precisam ser trocados no máximo a cada quatro a cinco meses, levando em conta uma freqüência de jogo de duas a três vezes por semana, para os competidores esse prazo diminui para dois a três meses no máximo.

Esses materiais tem a borracha em sua composição básica, que com o tempo desidrata, resseca e esfarela, comprometendo completamente o desempenho em qualquer nível de jogo, provocando uma diminuição da circunferência do punho da raquete e um conseqüente aumento na pressão da pegada, o que poderá provocar também problemas nas articulações do ombro e cotovelo (tennis elbow).



E as bolas são eternas ?

Como assistimos nos torneios internacionais as bolas de tênis são trocadas a cada nove games, que é o prazo limite da perda das especificações oficiais da bola.

Uma maneira de controlar esse desgaste é quando a bolinha começa a perder a pintura da marca na bola. É hora de dar para o cachorro brincar...

Mas se você quer performance no seus jogos respeite os nove games ou um pouquinho mais e efetue a troca.

Como conservar e quando trocar minha raquete ?

As raquetes de hoje em dia não precisam de muita conservação do quadro (estrutura) da raquete, mas sempre é bom passar um paninho úmido para tirar o saibro, encordoar com profissionais gabaritados, e nunca deixar em malas de carro, pois a alta temperatura junto com a pressão das cordas, poderá derreter e entortar a raquete de uma forma irreversível.

Com a velocidade de lançamento das indústrias considero dois anos como um bom prazo para atualizar sua raquete em novas tecnologias, que com certeza irão facilitar o seu jogo em qualquer nível.

Até a próxima!

Prof. Paulo Muñoz

Tire suas dúvidas com o Prof. Paulo Muñoz através do email - planetchampions@uol.com.br

Sobre Paulo Muñoz

Dono da loja Planet of Champions, no Rio de Janeiro, ele é Membro da United States Racquet Stringer Association (Associação Internacional de Encordoadores - USRSA) matric nº 28477, Profissional da Associação Americana de Treinadores de Tênis, Membro da International Tênis Federation (ITF), Membro do Conselho Regional de Educação Física (CREF) nº 10184. Possui Curso CBT nível I, II, III e treina atletas desde 1976.
banner
banner