X

Opinião - Fácil demais!

Sexta, 08 de julho 2011 às 18:00:35 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Vitor Souza Paula

O Brasil se aproveitou da ausência de Pablo Cuevas neste primeiro dia de disputas no Carrasco Lawn Tennis Club, em Montevidéu, e não teve o menor trabalho para abrir 2 a 0 para colocar um pé nos Playoffs do Grupo Mundial da Copa Davis.

O meu destaque nesta sexta-feira vai para Rogério Dutra Silva. Primeiro, ele surpreendeu ao ganhar a vaga de segundo simplista na equipe titular, e ainda entrou em quadra jogando solto e com muita personalidade contra Marcel Felder, tenista aguerrido, porém muito limitado tecnicamente.

Sem sentir o nervosismo de fazer sua estreia na competição, Rogerinho mostrou golpes potentes e imprimiu deste o início um ritmo muito forte que o rival não conseguiu suportar. No final, uma justa e merecida vitória por 6/2 6/2 6/3 que pode até dar mais confiança ao paulista no restante da temporada, em sua luta para chegar ao top 100.

Bellucci não teve uma grande atuação, mas conseguiu vencer sem se enrolar. Depois de um 1º set muito fácil, passou a abusar dos erros não-forçados e por pouco não teve que jogar 4 sets – chegou a estar com duas quebras abaixo na terceira etapa.

Além de Pablo Cuevas, vale também ressaltar que o Uruguai não contou hoje com outro trunfo importantíssimo. A torcida compareceu em pequeno número e não incomodou tanto os brasileiros, principalmente o estreante Rogerinho, que poderia acusar o golpe se tivesse sido mais pressionado pelas arquibancadas. Bom para nós!

Amanhã acontece o jogo de duplas que pode definir o confronto a favor do Brasil ou dar uma sobrevida aos uruguaios. João Zwetsch vai mandar à quadra Bruno Soares e Feijão, e os donos da casa provalmente devem escalar Pablo Cuevas – que, não custa nada ressaltar, já ganhou Roland Garros em duplas há três anos – ao lado de Marcel Felder. Um jogo equilibrado e sem favoritos, mas seria ótimo definir a série amanhã e não deixar os uruguaios chegarem vivos no domingo e acreditando na virada.

Grupo Mundial - Nenhuma surpresa nas quartas de final do Grupo Mundial. A Argentina confirmou o favoritismo e eliminou o Cazaquistão por 3 a 0, sem perder sets.

A Sérvia não contou com Novak Djokovic, mas o novo número um do mundo não fez a menor falta contra a Suécia. Sem Soderling, os escandinavos são presa fácil para os atuais campeões.

Meu destaque na divisão de elite do tênis mundial vai para a França. Os atuais vice-campeões abriram hoje 2 a 0 contra a Alemanha jogando fora de casa e devem avançar às semifinais. Com um time versátil e jogadores como Gael Monfils, Richard Gasquet e Jo-Wilfried Tsonga em boa forma, os franceses podem jogar bem em todos os pisos e ganhar de qualquer time.

Vale lembrar aqui também que Roger Federer e Andy Murray retornaram hoje à competição depois de muito tempo e ajudaram a encaminhar a vitória de seus países. O suíço perdeu um set para o português Rui Machado (93º), mas mesmo sem jogar o seu melhor venceu sem sustos. Já Murray enfrentou um tenista profissional sem ranking,de 24 anos, no duelo entre Grã-Bretanha e Luxemburgo e o resultado não poderia ser outro: triplo 6/0, um raro “triciclo” no mundo do tênis.
banner
banner