X

Criando Talentos - Detalhes sobre Bruno Soares, semifinalista em Paris

Terça, 03 de junho 2008 às 06:00:00 AMT

Link Curto:

Rodrigo Leander

Por Rodrigo Laender, técnico do CT da Amil no Rio de Janeiro

Roland Garros é certamente o torneio mais especial para nós brasileiros, já que obviamente todos os amantes do tênis vibraram intensamente com as conquistas inesquecíveis de Guga em Paris.Além disso, o torneio foi marcado por diversos outros momentos de destaque para os brasileiros, como a semifinal de Meligeni, as vitórias de Jaime em simples e duplas(pouca gente lembra que chegou á semi de duplas e final de duplas mistas), entre outros resultados.

Esse ano novamente, o torneio está sendo especial devido ao destaque da despedida de Guga, mas para aqueles que pensavam que isso seria tudo que o Brasil mostraria, as surpresas não param de chegar.Em simples tivemos boas exibições de Marcos Daniel, que fazia ótima partida contra Ferrero, quando este abandonou e na seguinte rodada esteve próximo de bater Melzer, perdendo no quinto set.Nas duplas, o gaúcho venceu uma partida ao lado do veterano americano Jim Thomas, e segue evoluindo, próximo de uma vaga em Pequim.

Thomaz Bellucci passou o duríssimo qualificatorio com certa facilidade e fez sua estréia em Grand Slams de maneira impactante.Na quadra Phillipe Chatrier, diante do até agora invicto Nadal, Thomaz fez um grande jogo, corajoso, com plano tático, agressivo e dominou diversas trocas de bola chegando a assustar Nadal com seu poder de fogo. Uma coisa é entrar solto, no estilo kamikaze, mas Thomaz enfrentou o espanhol de igual pra igual, sendo agressivo com consciência. Chamou atenção e seu potencial para seguir subindo é inegável.Assim como Marcos,também está perto de uma vaga em Pequim.

Nas duplas, já nos acostumamos com os belos resultados de Sá e Melo e após uma vitória na estréia, perderam para os norte americanos Ram e Reynolds, que são uma dupla perigosa. André está ainda nas quartas de final da chave de duplas mistas e busca um lugar na semi amanhã. Mas o destaque principal entre os participantes brasileiros tem sido Bruno Soares,que em jornada surpreendente, está na semi de duplas ao lado do sérvio Dusan Vemic. A surpresa veio não pela qualidade do jogo de Bruno, mas pelo fato de a dupla ter entrado como alternate na chave, ou seja contaram com desistências de duplas de ranking mais alto para entrarem. Mas não se enganem:ninguém chega a uma semi de Grand Slam(ou mais longe esperamos!) por acaso...até agora derrotaram grandes duplas, incluindo Erlich/Ram (campeões do Australian Open) e Bjorkman/Ullyett.

Para aqueles que não conhecem Bruno e estão surpresos, ele sempre foi um grande duplista. Trabalhei com ele por 2 anos e meio de 2003 a 2005, período onde o treinei e viajamos juntos,quando chegou a estar entre os 215 de simples e 105 de duplas. Nesse período ele venceu diversos challengers e iniciava uma ótima parceria com André Sá. Juntos haviam vencido 4 de 6 challengers disputados entre 2004 e 2005, além de uma vitória pela Copa Davis contra a Colômbia, até que uma lesão de fratura por stress interrompeu sua carreira por 2 anos.

Bruno passou 2 anos difíceis, sem saber em que nível poderia voltar a jogar, mas após longo tratamento e cirurgia,retornou no meio de 2007, sem ter pontos no ranking e com diversos parceiros venceu seguidos challengers(destaques para o Aberto de São Paulo desse ano e a Copa Petrobras de Bogotá e challenger de Tunísia ao lado de Bellucci). Chegou a Roland Garros como 94 do mundo e já tem lugar assegurado entre os 45 melhores.Que bela arrancada! Natural de e residente em Belo Horizonte,onde ainda treinamos juntos esporadicamente, Bruno tem como pontos fortes uma excelente devolução de saque, bons golpes de fundo (mais potentes do que grande parte dos duplistas) e uma ótima noção na rede.Cobre os espaços na frente muito bem, tem ótimos reflexos, visão e voleios tanto ofensivos como defensivos. Tem uma coordenação olho/mão muito apurada, o que explica a ótima devolução e habilidade no manuseio da raquete.

Seu parceiro Vemic é um velho conhecido nosso. Tem 31 anos e na época em que trabalhamos juntos,curiosamente Bruno e ele fizeram diversos duelos em simples, sempre grandes jogos, e Dusan chegou ironicamente a ser um rival, já que Bruno o enfrentou numa seqüência de torneios nos EUA. Mas construíram um ótimo relacionamento fora da quadra. Vemic é alto, forte e extremamente atlético, tem um saque excelente, versátil com potência e diferentes efeitos, e sabe jogar na rede. Não tem a potencia e consistência de Bruno do fundo , mas é um cara frio, tranqüilo e que sabe manter a bola em jogo e forçar o erro do adversário no momento certo.Usa e abusa de slices, deixadas, ângulos.Jogam agora contra a dupla Cuevas e Horna, e tem chances de avançar. Será um duelo muito equilibrado e esses adversários jogarão grande parte do jogo do fundo, com muita aceleração e potencia da base. Fica aqui a nossa torcida para que Bruno continue fazendo bonito e chegue à grande final, feito que seria inédito para o Brasil nas duplas masculinas. Um grande abraço e muita sorte!!!

Rodrigo Laender

rlaender@hotmail.com

Sobre Rodrigo Laender

Trabalhou como técnico nos EUA, onde jogou e se formou pela Old Dominion University. Trabalhou com equipes infanto juvenis e deu aulas em alguns clubes da região e seguiu por 2 anos no estado da Virgínia.

No ano de 2003 retornou ao Brasil e passou a treinar com o mineiro Bruno Soares onde trabalhou por dois anos e meio levando-o até a posição 215 em simples e 105 em duplas. Em fevereiro de 2006 passou a trabalhar no Centro de Treinamento Amil no Rio de Janeiro.
banner
banner