X

Criando Talentos - Torneios no Brasil, Argentina e Equipe Permanente

Domingo, 01 de julho 2007 às 10:00:00 AMT

Link Curto:

Rodrigo Leander

Por Rodrigo Laender, técnico do CT de Amil no Rio de Janeiro

Olá amigos!

Desde a minha última coluna, muita coisa aconteceu em minhas viagens pelas quadras do mundo. Em abril e maio, 4 torneios profissionais movimentaram as quadras do país. Essa importante série marcou bons resultados para a nova geração do tênis brasileiro, começando pelo Challenger de Florianópolis, onde o paulista Caio Zampieri alcançou as semifinais de simples e João Souza e André Miele a final de duplas, melhor resultado em torneios desse porte para os três jovens.

A partir daí foi iniciada uma seqüência de 3 futures no Brasil e logo na primeira semana em Brasília, nós da Amil tivemos uma semana inesquecível. João e Miele chegaram à final de simples, onde Feijão conquistou seu primeiro título. Essa semana nos mostrou que o investimento e o trabalho feito em torneios europeus fortaleceu muito a ambos e os resultados vieram rapidamente. Na semana seguinte em Caldas Novas, Zampieri bateu Bonatto na final(Feijão e Nicolas Santos foram ate a semifinal).E no último dos 3 eventos, Thomaz Bellucci sagrou-se campeão frente à Kirche, com Nicolas Santos novamente nas semifinais.

Destaques? Nesses torneios iniciou-se um importante e inédito trabalho, comandado pelo capitão da Copa Davis Chico Costa, de formar a chamada Equipe Brasileira Permanente, da qual fazem parte jovens tenistas com idade entre 18 e 23 anos, que se encontram em posição intermediária no ranking. O trabalho de Chico é dar apoio em treinos e jogos durante as competições, além de orientação geral sobre calendário, treinamentos, entre outros aspectos. O objetivo é fazer com que rapidamente esses atletas passem dos torneios Futures para os Challengers,e assim que subam progressivamente para que tenhamos num futuro próximo um maior volume de jogadores de alto nível. Fazem parte desse time além dos já citados Feijão, Miele, Zampieri, Bellucci, Kirche,e Nicolas Santos,Tiago Lopes, Ricardo Hocevar, Daniel Silva e logo poderão ser incluídos outros mais.

Outro ponto a ser destacado foi o domínio de jogadores brasileiros jovens na conquista de pontos, tomando espaço de jogadores mais velhos e dos estrangeiros, que mesmo não comparecendo em grande número,ficaram à parte das últimas rodadas. Os 3 títulos ficaram nas mãos de tenistas da Equipe Permanente e com a manutenção dessa iniciativa e mais torneios em casa os resultados serão ainda melhores.

O nosso próximo passo foi uma fortíssima série equivalente na Argentina, onde novamente fui com João, Miele e Rafael Garcia, e Chico foi com a grande maioria da Equipe Permanente. Os melhores resultados foram alcançados por Bellucci e Kirche, com uma semi cada um, além de bons resultados e vitórias de Feijão, Bonatto, Nicolas e Daniel Silva. Não é tarefa fácil enfrentar os bons tenistas argentinos em sua casa, com frio e condições de jogo distintas, mas como antes na Europa, a experiência foi extremamente válida. Mostrou que é necessário também competir fora do país e medir forças com as melhores escolas.

Nas 3 semanas em solo portenho, havia um grupo de 15 a 20 brasileiros, que se propuseram a trabalhar juntos e melhorar seu jogo. Chico coordenava os treinamentos da equipe e todos presentes participaram com igual afinco, membros da Equipe Permanente ou não, sem rivalidades. Foi gratificante ver,ao longo de 3 semanas, todos esses garotos, vencendo ou não, trabalhando duro diariamente às sete e meia da manhã,com a temperatura pouco acima de zero graus e disposição sempre nas alturas. Todos, sem exceção, humildemente recebendo e cumprindo orientações do Chico e minhas, que apesar de privilegiar meu trabalho com os jovens do CT Amil, procurei ajudar o grupo ao máximo. Desse modo, João, André e Rafael se beneficiaram imensamente dessa troca e uma nova mentalidade de trabalho em conjunto foi solidificada.

Quando se juntam boas pessoas e profissionais à elementos como trabalho em equipe, disposição e disciplina, a evolução é impressionante. Essas semanas foram e serão importantíssimas para todos presentes e creio que uma nova semente está sendo plantada no tênis brasileiro.

Um grande abraço,

Rodrigo - rlaender@hotmail.com
banner
banner