X

Equipe Nacional Permanente segue para torneios na Argentina

Quinta, 31 de maio 2007 às 17:38:31 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O Projeto da Equipe Nacional Masculina Permanente teve início neste mês, mas já é um sucesso entre os profissionais do esporte. Sob a coordenação do capitão da Copa Davis, Chico Costa, os profissionais de 18 a 23 anos escolhidos para a equipe começaram se destacar logo nos três Futures sediados no Brasil no mês de maio, com seis dos dez tenistas disputando as finais.

Estes foram os primeiros torneios disputados pelos tenistas como integrantes da Equipe Nacional Permanente. Agora, Ricardo Hocevar, Thomaz Bellucci, Leonardo Kirche, Tiago Lopes, Alexandre Bonatto, João Souza(Feijão), André Miele, Nicolas Santos e Daniel Silva partem para mais três eventos da série Future sediados na Argentina. O Primeiro será em Vila Maria, Córdoba, de 04 a 10 de junho; logo em seguida a equipe partirá para a cidade de Ospaca, sede dos outros dois torneios que acontecerão entre 11 a 24 do mesmo mês.

Esta é a primeira vez na história em que a CBT forma uma equipe permanente para ajudar no acompanhamento de atletas na transição da categoria juvenil para a profissional. Segundo Chico Costa, o projeto chega para preencher uma lacuna existente no desenvolvimento de promissores tenistas nacionais. "O grande problema dos tenistas brasileiros ao longo da história sempre foi a transição do juvenil para o profissional. Nossos atletas acabam perdendo muito tempo por falta de orientação e consequentemente não desenvolvem todo o seu potencial. A partir de agora, vamos monitorar nossos jovens para que estejam sempre no caminho correto".

Segundo Costa, os resultados obtidos no Brasil e o respaldo da CBT serviram para aumentar ainda mais a confiança da equipe para os Futures argentinos. "Estão todos muito motivados com esse apoio e lutando muito nos jogos. Os pontos dos torneios estão ficando com os nossos jogadores e isso dá mais confiança. Nosso próximo desafio será jogar na Argentina. Além do clima frio, eles têm jogadores com alto nível técnico, mas nossos tenistas estão confiantes", completou o capitão da Copa Davis.

Os resultados dos Futures de Brasília (DF), Rio Quente (GO) e Sorocaba (SP) comprovaram ainda na fase inicial do projeto que os objetivos da Confederação Brasileira de Tênis já estão sendo alcançados. Durante os três Futures, os dez tenistas da Equipe Permanente Nacional somaram, juntos 114 pontos no ranking mundial da ATP - Associação dos Tenistas Profissionais. Além disso, as três finais contaram com tenistas da equipe. João Olavo Souza bateu André Miele em Brasília (premiação de U$10 mil), Caio Zampieri venceu Alexandro Bonatto em Rio Quente (U$15 mil) e Thomaz Bellucci derrotou Leonardo Kirche em Sorocaba (U$10 mil).

Entre os jogadores, a melhora no desempenho também é comentada. "Todos estamos gostando muito dessa iniciativa e principalmente do Chico, que nos dá muitas opiniões. Antes eu estava treinando bem mas não estava encaixando. Consegui o meu primeiro título na carreira profissional e agora vou batalhar bastante para conquistar mais, dentro e fora do País", afirmou Bellucci, que somou, nos três Futures, 17 pontos no ranking mundial (2 em Brasília, 3 em Rio Quente e 12 em Sorocaba).

Chico Costa também acredita que esta nova maneira de trabalhar com os atletas pode ser o diferencial para o resto da carreira de todos. "Alguns treinadores acompanham os seus jogadores e ficam responsáveis pelo treinamento. Aqui, nós assistimos aos jogos, damos opiniões e buscamos tirar o máximo de cada um".

De malas prontas para a Argentina, Alexandre Bonatto prevê dificuldades para os brasileiros, mas acredita na união dos jogadores. "A torcida ajuda muito nos torneios no Brasil. Treinar e jogar na Argentina vai ser diferente, porque a bola anda menos e vamos ter mais estrangeiros na disputa. O projeto é bem legal, pois além de todo mundo ficar junto, todos têm a oportunidade de buscar os resultados e subir no ranking".

Os Futures argentinos distribuem U$ 10 mil cada um.
banner
banner