X

'Pensei que nunca mais chegaria numa final', diz Pella, depois do título em SP

Domingo, 03 de março 2019 às 21:12:54 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira e Helio Carvalho - Campeão do Brasil Open, conquistando seu primeiro título de ATP após quatro tentativas frustradas, o argentino Guido Pella admitiu que já havia perdido as esperanças de encerrar o jejum. Ele destacou o alívio que sentiu neste domingo.



"Depois que perdi a final de Córdoba, pensei que nunca mais teria chances de disputar uma decisão. Minha cabeça estava muito mal", iniciou, relembrando da partida decisiva que perdeu para seu compatriota Juan Ignacio Londero, há três semanas, no ATP 250 de Córdoba.

A respeito do jogo desta tarde, que superou o chileno Christian Garin por 7/5 6/3 no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, Guido se viu superior durante a maior parte do tempo. Segundo ele, sua maior experiência fez a diferença.

"Fiquei tranquilo e acredito que realmente fui superior na partida. Ele (Garin) ficou um pouco nervoso, já que participou de sua primeira decisão, e pude aproveitar isso", pontuou o terceiro argentino a conquistar o ATP 250 brasileiro.

Sobre seu adversário, que tem 22 anos de idade, prosseguiu. "Claro que ele está chateado com a derrota, mas é muito jovem ainda e certamente estará em outras finais no circuito. Na próxima oportunidade que tiver, certamente estará mais tranquilo", projetou.

Falando do forte abraço que deu em seu treinador, o ex-top 20 Jose Acasuso, depois da conquista, Pella destacou a importância da parceria.

"Ele me traz paz, tanto dentro de quadra quanto fora dela. Além disso, enxerga o jogo com muita clareza, e isso é tudo que um jogador precisa e procura num técnico. Acredito que esses aspectos sejam importantíssimos. Dei um abraço nele porque, enfim, acabou o pesadelo", explicou o atual 48º do ranking, mas que chegará ao 34° lugar com os 250 pontos conquistados.

Questionado sobre a ligação que fez logo após o título, ainda em quadra, o canhoto explicou para quem ligou e o porquê de fazê-la.

"Liguei para minha mãe, porque quando perdi em Córdoba disse a ela que nunca mais venceria um torneio. Creio que a conquista de hoje também foi graças à força da minha família", relembrou.

Ao fim da entrevista coletiva, Guido deu sua opinião sobre o caso do compatriota Marco Trungelliti*, que denunciou a ação de uma máfia de apostas em seu país e citou o nome de jogadores da Argentina envolvidos.

"Acredito que este assunto tenha tomado uma proporção maior que a necessária, pois ele apenas cumpriu com a obrigação de um tenista. Trungelliti foi perfeito, fez o que tinha que ser feito para se manter o esporte limpo", finalizou.

 

*Para ler o relato e a sequência dos fatos no caso de Marco Trungelliti, clique aqui.

 

FOTO: Marcello Zambrana/DGW Comunicação

banner
banner