X

Sem ansiedade, Pella: 'Vamos curtir porque não se joga uma final todos os dias'

Sábado, 02 de março 2019 às 17:46:27 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - Guido Pella está muito satisfeito com a campanha que tem feito no saibro sul-americano. Vice-campeão em Córdoba e finalista em São Paulo, prevê um jogo duro contra Garin, mas quer buscar seu 1º ATP sem se impor muita pressão.



"Ele é jogador um jogador muito duro, que você não sabe o que esperar. Um momento ele parecia travado, tive que ficar concentrado. Ele é um jogador que está atravessando seu melhor momento, por isso, demandou mais de mim, mas foi um grande jogo", resumiu Pella.

Sobre a oscilação no primeiro tiebreak, Pella foi muito direto: "Acabou que eu venci. Pensa num tiebreak, é o tipo de coisa que qualquer um pode vencer, hoje foi a meu favor. Neste momento de tensão (setpoints salvos) consegui me manter tranquilo, muito mais que em partidas anteriores, e isso foi a chave. Já no segundo tiebreak foi tudo mais tranquilo".

Pella contou ainda que não se abalou ao ser quebrado sacando para o jogo no nono game: "Isto é coisa normal de jogo. pode acontecer".

O argentino foi questionado sobre o fato de estar em sua quinta final de ATP, mas sem conseguir vencer o título. "Ainda não consegui vencer. A verdade é que eu tenho feito uma boa gira, com a final em Córdoba, a semifinal em Buenos Aires e a final aqui. É isto que não posso perder de vista, que estou fazendo um bom ano, tenho ganho muitos pontos e superando adversários duríssimos. Se eu ganhar, bom. Se eu não ganhar, seguirei lutando, sei que uma hora vai acontecer".

a respeito do duelo final contra o chileno Christian Garin, Pella ressaltou que será um jogo duro, onde os dois estarão nervosos, inclusive porque Garin joga sua primeira final. "Sempre que tive que jogar uma final, fiquei nervoso. Então eu preciso entender as coisas e buscar tranquilidade. Não vou me desesperar, nem entrar com uma pressão descomunal. Ainda posso ganhar e se não ganhar fico com a sensação de ter jogado uma semana muito boa", relatou.

Com o confronto direto contra Garin a seu favor e com o histórico de ter vencido o chileno em São Paulo, na disputa de um Challenger em 2015 e de ser campeão na capital paulista em 2012 do Challenger Tour Finals, Pella não acredita que tem vantagem contra o jovem chileno.

"Se ele está aqui, é porque ele ganhou e ganhou de adversários muito duros. O jogo de quartas de final que ele venceu o Leo Mayer era um confronto duríssimo, porque Leo é muito perigoso com o saque que tem e mesmo assim Garin venceu. Amanhã será um partido com 50% de chances para cada um, onde os dois querem ganhar e vamos curtir o fato de estar em uma final, porque isso não acontece todos os dias", finalizou.

banner
banner