X

Zampieri perde na semi em Floripa

Sábado, 28 de abril 2007 às 16:04:58 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O Brasil está fora da disputa pelo título de simples do Aberto de Tênis de Santa Catarina. Neste sábado à tarde o paulista Caio Zampieri, que era a esperança brasileira de estar presente na final, não resistiu ao chileno Paul Capdeville e perdeu por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 6/4, em 1h22min.

No domingo, a partir das 11h, com transmissão pelo Sportv e TV Com, Capdeville enfrentará o argentino Juan-Pablo Guzman na decisão do torneio challenger que distribui um total de US$ 50 mil em prêmios. O campeão vai somar 60 pontos no ranking internacional, além de um prêmio de US$ 7.200. O vice-campeão receberá 42 pontos e US$ 4.240. Os dois já se enfrentaram três vezes. A primeira em Aracaju, no Brasil, em 2004, quando Guzman levou a melhor. No ano seguinte, Guzman voltou a vencer, desta vez no México. Ainda em 2005, Capdeville saiu vencedor num torneio na Suiça.

Apesar da derrota, ter chegado à semifinal de um challenger foi a melhor campanha na carreira de Caio Zampieri. Com humildade, o paulista de 20 anos, natural de Mogi Guaçu, reconheceu a superioridade do adversário. "Eu estive muito nervoso no começo. Ele de cara já fez 4/0. Tive chance de voltar no jogo ainda no primeiro set, mas não aproveitei as chances e isto fez a diferença. Mas não acho que tenha jogado tão mal. Estou triste por não ter ganho a partida de hoje (sábado), mas feliz pela campanha", disse Zampieri, que pelo resultado no Costão do Santinho somará 27 pontos, além de receber uma premiação de US$ 2.510.

Capdeville conseguiu quebrar o saque do brasileiro logo no iníco do jogo, repetindo a quebra no terceiro game. No sexto game, o mais disputado da partida, com nove vantagens, Zampieri não conseguiu confirmar o serviço e na seqüência o chileno sacou para fechar o primeiro set em 6/2. O segundo game também foi marcado por muitas quebras de saque, de Capdeville no sexto e oitavo games, e de Zampieri no primeiro, sétimo e nono games. “Saquei muito mal, a bola não ia rápida. Mas estava calmo, estive o tempo todo acima do placar e isso me deixou confiante. Estou muito contente. Agora já preciso pensar no jogo de amanhã, que também será difícil”, afirmou Capdeville, número 155 do ranking mundial.

GUZMAN VENCE DE VIRADA - Na outra semifinal, o argentino Juan-Pablo Guzman, cabeça-de-chave número 2 do Aberto de Tênis de Santa Catarina confirmou o favoritismo e avançou à final do torneio. Neste sábado pela manhã ele venceu o uruguaio Pablo Cuevas por 2 sets a 1, parciais de 6/4, 6/7(5) e 6/3, em 2h09min de partida. Juan-Pablo Guzman, 26 anos, teve na semifinal o seu jogo mais difícil até agora no torneio que oferece premiação total de US$ 50 mil. Antes, havia vencido todas as partidas em dois sets, diante de Cristian Villagran, da Argentina, Franco Ferreiro, do Brasil, e Juan Pablo Brzezicki, da Argentina. No segundo set da partida contra Cuevas ele conseguiu salvar três set points no 10° game, mas acabou perdendo no tie-break.

No set decisivo, Gusman conseguiu a quebra no sexto game e manteve a frente até o final da partida. “Mudei de estratégia no segundo set porque ele estava sacando bem. Mas no tie-break errei muito. Foi um jogo difícil, com bastante vento. Joguei melhor no terceiro set”, avaliou o vencedor, que chegou a Florianópolis pouco confiante, depois de uma semana jogando mal. “Tive um pouco de sorte para chegar até aqui”, confessa ele, que parte agora para tentar o seu quarto título em challengers. Os outros três foram conquistados em torneios na França, Itália e Estados Unidos. "Não tenho preferência por adversário na final. Todos são bons jogadores e certamente será outro jogo duro", projeta Guzman, que ocupa atualmente a posição 115 do ranking mundial.

banner
banner