X

Um Puxão de Orelha no Federer

Domingo, 22 de abril 2007 às 12:17:52 AMT

Link Curto:

Federer - Monaco 07 IV

Por Fabrizio Gallas

Onde está a genialidade de Roger Federer ? O que acontece com Federer quando enfrenta um garoto de 20 anos chamado Rafael Nadal no saibro ? A resposta é simples. Nadal é o único tenista que faz Roger Federer sentir a pressão. É o único no circuito profissional que faz Federer "tremer". Vamos analisar um pouco o que passa pela cabeça do suíço quando tem o espanhol pela frente.

Em todas a partidas que encontra Nadal, Federer fica com aquele famoso "frio na barriga". Algumas vezes até na superfície rápida na qual é melhor, o suíço consegue o triunfo, mas quando vai pro saibro, a figura muda.

Dois erros clássicos que podemos observar no Federer. Um deles está no seu jogo no pó de tijolo. Roger tem um estilo bem agressivo, de ir pra cima, dominar com a direita, fazer muitos winners, ir à rede. Mas o piso lento faz sempre com que o adversário escorregue e tenha tempo de chegar e sempre bater mais uma bola. A cada vez que um tenista precisa bater mais há uma maior tendência ao erro. Resumindo, Federer precisa de paciência no saibro.

Hoje na final do Masters Series de Monte Carlo isso ficou evidente. Federer manteve os dois sets com 19 erros não-forçados cada um. Enquanto isso Nadal fez 19 no jogo todo, ou seja, o dobro para Roger. Fator Decisivo na partida. O saibro não demanda pancadas, mas sim regularidade.

Outro fator que Federer peca e dessa vez somente diante de Nadal, é o lado emocional. Ele teve 3 chances de quebra no primeiro set em que poderia largar na frente e até vencer, mas errou em todas elas. Em contrapartida, Nadal aproveitou suas oportunidades e dominou na parcial seguinte.

Quando Federer olha o horizonte do triunfo que tem contra Nadal, ele "pensa" e esse fator não é bom no tênis. Basta voltar um pouco no tempo, Roma 2006. O tenista da Basiléia obteve alguns match-points e não fechou na maior chance que teve de vencer o espanhol no saibro até agora. Diante de qualquer outro adversário, o líder do ranking vai pra cima e fecha o jogo.

O que foi estranho em Roger neste domingo foi a sua falta de atitude que sobrou em Nadal. Quando perdia 6/4 3/2 uma quebra abaixo, ele errava demais e sequer reclamava de si mesmo, ou gritava, como fazia em oportunidades anteriores. Federer mostrou um abatimento incrível, parecia conformado de que o adversário é melhor. Essa falta de atitude não é condizente com quem tem 10 títulos de Grand Slam e 47 ao todo na carreira.

Durante a semana, o sueco Mats Wilander, ex-número 1 do mundo em 1988, declarou que Nadal é imbatível nessa superfície. Raciocínio lógico, agora são 67 vitórias seguidas, não perde desde abril de 2005 nas quartas de final de Valência quando caiu diante de Igor Andreev da Rússia. O sueco completou que Federer só vencerá em Roland Garros se Nadal cair mais cedo.

Concordo com a tese de wilander. Com esse estilo de jogo e principalmente essa atitude primária, Federer não vencerá Nadal e terá que adiar mais uma vez seu sonho em Paris.

Se ele não melhorar nesses aspectos, terá que torcer e muito para o espanhol ser eliminado mais cedo. E só lembrando que um tal Guillermo Cañas vem derrubando o suíço nas últimas vezes, duas seguidas em Miami e Indian Wells. É Federer, cuidado! Roland Garros pode estar mais longe que você pensa!
banner
banner