X

Jogador que destruiu raquete na própria cabeça, Youzhny é homenageado na Rússia

Domingo, 23 de setembro 2018 às 16:22:55 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - O 'coronel' do tênis, o russo Mikhail Youzhny foi homenageado em de São Petersburgo, em cerimônia marcada por emoção. Aos 36 anos, o ex-top 8 deu adeus ao tênis esta semana. Recordemos sua carreira.



Youzhny foi o último a se retirar de uma geração promissora e vencedora de tenistas russos, que foi puxada no meio dos anos 1990 por Yevgeny Kafelnikov, ex-número 1 do mundo e atualmente com 44 anos, e teve como contemporâneos o também ex-número 1 Marat Safin, atualmente com 38 anos, e o ex-top 3 Nikolay Davydenko, de 37 anos. Além de nomes como Igor Andreev, Dimtry Tursunov, Elena Dementieva, Vera Zvonareva, Maria Sharapova, Anastasia Myskina, Svetlana Kuznetsova, Dinara Safina, Maria Kirilenko e outras.

Dono de um backhand executado com uma mão potente e marcante, Youzhny chegou ao top 8 da ATP em janeiro de 2008, quando fez quartas de final no Australian Open, seu melhor resultado em 17 participações no Slam australiano.

Já em Roland Garros, foram 18 participações e o russo alcançou quartas de final na edição 2010. No saibro parisiense, Youzhny chegou a vencer o espanhol Juan Carlos Ferrero, ex-número 1 e campeão do torneio em 2003, em partida válida pela terceira rodada da edição 2007. Ainda em Paris, foi derrotado na estreia da edição 2017 pelo brasileiro Rogerio Dutra Silva em jogo duríssimo.

Na grama de Wimbledon, Youzhny pisou por 18 oportunidades e teve grande sucesso, registrando 32 vitórias e 18 derrotas. Ali, fez quartas de final na edição 2012, sendo derrotado por Roger Federer.

No US Open, foram 16 participações e duas semifinais disputadas - 2006 quando caiu para o local e ex-número 1 do mundo Andy Roddick, e 2010, quando foi derrotado pelo então número 1, o espanhol Rafael Nadal.
Profissional por 19 anos, Youzhny somou 28 vitórias e 89 derrotas diante de tenistas do top 10 e permaneceu por 25 semanas entre os dez melhores do mundo em períodos divididos entre 2008 e 2010. 

Em três torneios, Youzhny venceu ao menos dois top 10:

  • ATP 500 de Valência, na Espanha, em 2011 venceu Jo-Wilfried Tsonga, na época 9º, na estreia, Davydenko, 7º, na semi e perdeu a final para Andy Murray, 4º.
  • Masters de Paris-Bercy em 2007, superou nas oitavas Fernando González, 9º, nas quartas Tommy Haas, 10º, e perdeu na semi de Rafael Nadal.
  • US Open 2006, venceu na 3ª rodada Tommy Robredo, 5º, Nadal, 2º, nas quartas e perdeu na semi de Roddick, 10º.

O russo nunca venceu o tenista número 1 do mundo quando o enfrentou. O jogador que mais o derrotou foi o suíço Roger Federer, a quem enfrentou em 17 oportunidades e perdeu todas.
São 10 títulos profissionais, os dois principais: ATP 500 de Valência (2013) e o ATP 500 de Roterdã (2007); além de outros 11 vice-campeonatos.

A última final de torneio nível ATP da carreira do russo foi em Valência, onde derrotou o local David Ferrer em 6/3 7/5.

Mikhail Youzhny terminou a carreira com 499 vitórias e 416 derrotas. Ele foi aposentado pelo espanhol Roberto Bautista Agut.

Pela Cppa Davis, Youzhny foi quem deu o título à Rússia na edição 2002 ao vencer no quinto duelo da final o francês Paul Henri-Mathieu de virada pelo placar de 3/6 2/6 6/3 7/5 6/4. Youzhny também fez parte da campanha vencedora em 2006 disputando até à semifinal, mas não disputou o confronto final. Entre 2000 e 2012, Youzhny foi convocado para 30 disputas, ganhou 15 confrontos em simples e perdeu 11. Nas duplas foram seis vitórias e seis derrotas. 

Na edição 2011, Youzhny foi responsável por colocar a Rússia no grupo mundial, ao vencer em Kazan o brasileiro Thomaz Bellucci pelos playoffs, em um duro placar de 2/6 6/3 5/7 6/4 14/12. A vitória de Mischa, como é chamado carinhosamente pelos torcedores locais, empatou o duelo na partida entre os números 1 dos dois países.

Um dos momentos que jamais serão esquecidos pelos fãs de tênis foi quando em frustração de cometer um erro com backhand, o russo bateu com a raquete contra a própria cabeça, lhe provocando um corte. O jogo era válido pelo Masters 1000 de Indian Wells em 2008 e rendeu-lhe uma derrota para o espanhol Nicolas Almagro. Reveja:

banner
banner