X

Rogerinho surpreende e elimina Saretta do Aberto de SP

Terça, 02 de janeiro 2007 às 16:24:09 AMT

Link Curto:

Rogério Silva
Surpresa logo no segundo dia de competições do Aberto de São Paulo, disputado no Paque Villa-Lobos. Cabeça-de-chave número 1 e atual campeão do torneio, Flávio Saretta, 118o. do ranking, foi eliminado logo na estréia para Rogério Dutra Silva, 263o., em uma dura partida de três sets: 6/4 3/6 7/5.

Com o resultado, Saretta irá despencar no ranking. Ele perderá 80 pontos pelo troféu conquistado no ano passado e corre o risco de deixar o grupo dos 150 do mundo.

Por outro lado, Rogerinho emplaca sua maior vitória da carreira. O jovem de 22 anos teve seu maior crescimento no ano passado quando saiu da 615a. colocação para a atual perto do Top 250.

Após o jogo ele disse que o trabalho na pré-temporada foi fundamental para o triunfo: "Venho treinando muito tempo, batalhando, foi um pouco surpreendente, Saretta é jogador de Davis. Vitória do suor, é resultado de tudo que to batalhando a anos."

A partida foi marcada por três paralisações devido à chuva. Antes marcado para as 11h o jogo começou atrasado e só foi terminar depois das 4 da tarde. Logo no primeiro game, Rogerinho quebrou e manteve a vantagem até o fim para vencer por 6/4. No segundo set, Saretta levantou a cabeça, conseguiu a vantagem e fechou também com uma quebra. O set decisivo parecia caminhar para o tenista de Americana. Flávio teve três break-points no primeiro game, mas não converteu. Dutra Silva se aproveitou e em seguida abriu 3/1. Porém, quando sacava 5/3, Saretta melhorou e jogo tornou a ficar equilibrado em 5/5. No 12o. game Saretta sacava perdeu um voleio na mão e cedeu o segundo match-point, aproveitado por Rogerinho: 7/5.

"Decisivo foi o primeiro game do terceiro set quando saquei 0/40 e reverti a situação fiquei mais comodo," disse Dutra Silva que se mantém humilde em relação as chances de ganhar o toprneio em São Paulo: "O torneio em si é muito forte, Saretta é o cabeça 1, mas tem outros grandes jogadores".

Ao fim do jogo, o número 2 do país lamentou a falta de ritmo pelo primeiro jogo na temporada: "Desde do primeiro ponto nao me senti muito bem, senti a falta do ritmo já tinha pressão de ter que defender o titulo ele vinha como qualquer um que queria me ganhar não tinha obrigação. Defendia o título que seriam itortante. Mas acontece estava bastante desconcentrado", declarou o ex-44o. do ranking que analisou o progresso do rival: "Rogerinhho é um cara que conheço a muito. Ele era um milhão de vezes pior, não tinha dinheiro pra viajar. Acabei vendo ele ano passado e vi não era possível que era ele, fiquei feliz, ficamos junto nos torneios da Petrobras, ajudei dei força no ano passado e hoje ele acabou me papando. Perdi de um cara que gosto que vou torcer."

Rogério agora espera pelo adversário de oitavas de final. Ele encara o vencedor do gaúcho Franco Ferreiro e o argentino Brian Dabul.
banner
banner