X

CBT se defende de MG e faz acerto com o COB

Sexta, 15 de dezembro 2006 às 21:30:29 AMT

Link Curto:

CBT
Após ser acusada pelo Governo de Mimas e ameaçada de ter o caso na justiça a Confederação Brasileira de Tênis enviou um comunicado à imprensa se defendendo das acusações feitas ontem pelo governo mineiro em relação às dívidas do confronto Brasil x Suécia da Copa Davis.

Leia abaixo o comunicado enviado pela CBT:

"A Confederação Brasileira de Tênis vem através desta, e para comprovar as afirmações feitas em entrevista coletiva concedida na sede da entidade no última dia 13 de dezembro de 2006, comunicar que na ocasião foram informados apenas os valores relacionados ao contrato com o Governo de Minas Gerais e não todas as fontes de captação de recursos da entidade durante a realização da Copa Davis em Minas Gerais. O Governo de Minas Gerais, segundo a documentação apresentada em nota oficial, configura-se como "Cota Sede", o que incluía fornecer o local - toda a estrutura da Expominas- e apenas ter o direito de sediar o evento. Todos os outros produtos tinham preço e estavam à venda.

Sobre os patrocinadores listados em nota oficial do governo mineiro, cabe esclarecer:
Anglo Gold - não foi captado via governo e o valor arrecadado pela CBT com a empresa foi de R$98 mil;
O Sebrae comprou espaço na feira montada no Expominas e, portanto, não pode ser incluído como patrocinador da Copa Davis, pois eram produtos distintos, conforme afirma a nota governamental.

Em relação ao patrocínio do Banco do Brasil, o valor apresentado pelo governo mineiro - R$ 254.232,95-, só aumenta o débito de Minas Gerais, pois na contabilidade da CBT, o valor seria de R$ 305 mil."

A entidade informou também que fez uma parceria com o Cômite Olímpico Brasileiro para pagar as dívidas do confronto: "Ao mesmo tempo, vimos a público informar que, ao verificar o atraso no pagamento dos valores devidos pelo Governo de Minas Gerais através da sub-secretaria de esportes, enviamos projeto de todas as despesas operacionais da Copa Davis (alimentação, transporte aéreo e terrestre, juízes e staff) ao Comitê Olímpico Brasileiro(COB) no dia 09 de setembro, para viabilizar o pagamento através da verba da CBT junto ao COB. Nesta quinta-feira, dia 14 de dezembro, em reunião do COB no Rio de Janeiro, foi acordada a liberação da verba para o pagamento, no mês de janeiro, dos débitos listados acima.

Este pagamento será feito com verba que deveria ser destinada ao desenvolvimento de outros projetos do tênis nacional e não exime o governo mineiro do pagamento de seus compromissos junto à CBT. Desta forma, como presidente da entidade máxima do tênis brasileiro, tomarei as medidas jurídicas cabíveis para ressarcir a Confederação Brasileira de Tênis pelos danos causados, pois seria muita irresponsabilidade não buscar os direitos da CBT, contra quem quer que seja."
banner
banner