X
banner

CBT denuncia calote de R$ 600 mil do Governo de Minas

Quarta, 13 de dezembro 2006 às 20:44:05 AMT

Link Curto:

CBT
O presidente da CBT- Confederação Brasileira de Tênis- apresentou nesta quarta-feira, em entrevista coletiva para a imprensa, o termo de compromisso assinado pelo Governador de Minas Gerais, Aécio Neves, para a realização da Copa Davis em Belo Horizonte.

No documento, ficava determinado que o valor para realização da Copa Davis na capital mineira seria de R$ 1.250.000,00 (um milhão duzentos e cinqüenta mil reais), sendo R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) pela rubrica do Governador e R$ 250.000,00 (duzentos e cinqüenta mil reais) pela rubrica do Sub-Secretário de Esporte, Rogério Romero, na forma de pagamentos de serviços descritos nos e-mails trocados entre as partes e também apresentados na coletiva.

O governo auxiliou na busca de parceiros/patrocinadores, sendo que dos três – Sebrae, Telemar e Banco do Brasil- apenas os dois primeiros pagaram suas cotas, estando ainda o Banco do Brasil em débito de R$ 300 mil, mas que a CBT espera pelo pagamento até o próximo dia 18 de dezembro. O governo de Minas Gerais, segundo os documentos apresentados, pagaria o restante, no total de R$ 600 mil. “ Nós arcamos com muitas despesas extras em Belo Horizonte, mesmo fora do contrato, por que algumas delas foram exigência dos patrocinadores/parceiros encaminhados pelo Governo de Minas Gerais e contávamos com a verba do Governo para saldar estas e todas as outras dívidas, ficando em condições de iniciar definitivamente uma nova era no tênis, mas não é o que está acontecendo” , disse Jorge Lacerda da Rosa.

Na última segunda-feira, o presidente da CBT enviou a carta ofício (cópia foi entregue aos jornalistas) ao Governador de Minas Gerais, solicitando o pagamento dos valores em aberto. A idéia era tentar conversar com o Governo de Minas, mas não houve nenhuma sinalização, por parte do Governador, de uma possível reunião ou solução para o caso.

“Tentamos diversas vezes marcar uma audiência, sem sucesso. Dessa forma, em vez de darmos dois passos para a frente, estamos voltando e quem perde é o tênis, por que muitos projetos ficarão na gaveta esperando pagarmos as contas, que aumentaram. As dívidas da gestão passada vão ter que esperar, por que vou tratar primeiro das que assumimos agora. E o caso será encaminhado ao departamento jurídico para avaliação das medidas cabíveis”, prosseguiu Lacerda.

O presidente também mencionou os muitos projetos que estão em andamento na CBT, em especial o Departamento de Capacitação, que vem formando e capacitando técnicos em todo o País e que ´é um dos alicerces de um novo tênis no Brasil.

Sobre as dívidas adquiridas na Copa Davis, algumas serão pagas via Comitê Olímpico Brasileiro. Um funcionário de departamento financeiro da CBT vai ao Rio de Janeiro ainda nesta semana, para acertar a prestação de contas e, com isso, pagar alguns débitos, como por exemplo, de arbitragem.

“Os árbitros dos torneios Futures estão todos em dia, temos os comprovantes de pagamento. Apenas os da Copa Davis em Minas e alguns poucos de torneios juvenis do mês de novembro ainda não receberam, justamente por conta deste problema, mas com a liberação do dinheiro do COB, pagaremos” , concluiu Lacerda.

Fonte: Imprensa CBT
banner
banner