X

Tomic questiona gestão de federação australiana e ataca: 'Rafter é um ator'

Sábado, 04 de julho 2015 às 00:05:38 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Após ser derrotado em sets diretos por Novak Djokovic pela terceira rodada de Wimbledon, o número um da Austrália e 26 do mundo, Bernard Tomic, criticou a gestão da federação de seu país e chamou o ex-número 1 do mundo Patrick Rafter de 'falso'.



Tomic foi questionado por um jornalista sobre o tênis em seu país, já que há alguns dias seu pai, John Tomic, fez duras críticas à Tennis Australia (TA, federação local) por falta de apoio financeiro a sua filha mais nova, Sara.

Ao iniciar sua fala, o jovem questionou: "O que a TA está fazendo? Onde está indo o dinheiro? É horrível. Alguém precisa investigar isso. Onde está o apoio? O respeito? Por que eu tenho que jogar por este tipo de gente? Não entendo".

Entretanto, Bernard Tomic disparou mesmo contra o ex-líder do ranking mundial, ex-capitão australiano na Copa Davis e atual diretor esportivo da federAção, Patrick Rafter. "Pat é um cara legal. Se o público australiano não conhece Pat, ele é um bom ator, articulado, sempre preparado e sabe o que dizer", esclareceu o tenista, que prosseguiu: "Pat Rafter é uma máscara para Craig Tiley e Stephen Healy. Eles não sabem como lidar com isso. Ele não sabe o que está fazendo. É uma loucura", disse.

"Ele foi preparado pela Tennis Australia para saber o que dizer. Ele sempre sabe responder o que nós questionamos. Diante disto, estou desapontado com Craig Tiley na TA. Ele é a razão de que os últimos anos foram um sobe e desce", opinou.

O tenista, que teve o pai banido do circuito profissional em 2013 após agredir seu sparring, o ex-tenista monegasco Thomas Druet. A punição dada pela ATP foi seguida à risca pela Tennis Australia na realização do Australian Open 2014 e também na Copa Davis, onde Rafter não permitiu que o pai e treinador do jovem sequer estivesse no box com familiares no confronto contra a Polônia em 2013. (relembre o caso)

Tomic, hoje com 22 anos, já foi considerado a maior promessa local desde o fenômeno Lleyton Hewitt, perdeu espaço e destaque para os jovens Nick Kyrgios e Thanasi Kokkinakis e até mesmo Luke Saville, ex-líder do ranking juvenil. Neste cenário, não poupou críticas à Tennis Australia.

"Há uma falta de apoio em relação a mim. Não houve nenhum respeito. Tem sido difícil ser um bom jogador nos últimos três ou quatro anos, sempre chegando, e as pessoas esperam muito de mim. De repente, as coisas começaram a mudar, eu tive a cirurgia (a realizada no quadril na ocasião do Australian Open 2014). Eu não recebi nenhuma ligação da TA. 'Nós podemos ajudar você, Bernard?'; 'Podemos fazer isso?'; 'Você precisa de algo?'", desabafou o tenista.

"Nada. Sem telefonemas. Eu estava sozinho e me senti ruim para um nível tão elevado como o da Tennis Australia, que me apoiou bem durante muito tempo. Não me entenda mal. Como o Pat disse, muito dinheiro foi investido em mim, é claro. Mas o que eles investiram em mim, tiveram um retorno 10, 20 vezes maior. Isso com 100% de certeza. Agora, de repente, estão me negligenciando, por algum motivo", completou Bernard, que revelou que a partir deste ano passou a ter que pagar pelo tempo de uso das quadras do clube da federação e das bolas que usa.

Tomic contou que questionou Rafter e Tiley sobre a cobrança dizendo que dinheiro não é o problema e sim "o respeito".

O tenista ainda disse que aceitou o chamado de defender seu país na Copa Davis, mas porque Kyrgios teria lhe dito "que  não faria parte do time se ele não jogasse" e em respeito a heróis como Hewitt, Tony Roche  e Roger Laver. Tomic fez questão de destacar que jogará por Hewitt, que disputa a última Davis de sua carreira.

 

A resposta

Na noite desta sexta-feira, manhã de sábado no horário local, a federação australiana usou sua conta oficial no Twitter para diante de seus mais de 46,7 mil seguidores rebater as declarações do tenista. Confira as postagens:

"As declarações pós jogo de Bernard #Tomic sobre a TA (Tennis Australia) foram mal informadas, falsas e decepcionantes"


"TA reforça seu comprometimento em implementar a melhor cultura possível, com a filosofia da possibilidade, não por possessão"


 

banner
banner