X

Federer revela convite de Hingis para as Olimpíadas de 2016

Quarta, 11 de março 2015 às 22:21:48 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O suíço Roger Federer, número 2 do mundo, revelou na noite desta terça-feira que um dos maiores sonhos suíços começa a tomar forma para as Olimpíadas de 2016. A maior tenista da suíça, Martina Hingis, teria convidado Federer para uma parceria nos jogos.

 



Não é de hoje que os fãs de tênis, não só suíços, sonham em ver a parceria entre Roger Federer e Martina Hingis, maiores tenistas da história da Suíça, tornar-se realidade novamente. Martina Hingis, que recentemente retornou ao circuito jogando duplas após anos de aposentadoria, convidou Federer para formar uma parceria e disputar a medalha de ouro nas duplas mistas nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. A informação foi divulgada pelo ex-líder do ranking na noite desta terça-feira, durante a partida de exibição que disputou contra Grigor Dimitrov, em Nova York.

Segundo Federer, o convite foi recebido mas ele não garante a parceria. O suíço prometeu pensar na hipótese.

“Eu disse que iria pensar nisso. O problema é que eu não sei como vou conseguir jogar simples, duplas masculina e mista durante um período de oito dias se eu tentar jogos todos os torneios. Seria algo como 15 jogos em oito dias”, afirmou.

Federer e Hingis já atuaram lado a lado em 2001, na Copa Hopman, quando conquistaram o título. Na época, Federer era apenas o 30º colocado do ranking e ainda não tinha nenhum título de nível ATP, enquanto Hingis já havia vencido seus cinco títulos de Grand Slam.

Esta não é a primeira vez que os dois tenistas planejam a parceria para os jogos olímpicos, em 2012 Federer havia convidado Hingis para formar uma parceria para as Olimpíadas de Londres. O convite, no entanto, foi recusado pela ex-número 1 do mundo.

Apesar de todo o burburinho sobre a parceria, Federer não confirmou sequer sua presença nos jogos olímpicos. Segundo o suíço, ele tem outras prioridades no momento em sua carreira, mas deixou clara a importância de buscar medalhas para seu país.

“Eu realmente espero poder jogar no Rio. Não é minha meta número um, nem a número dois. Eu apenas disse que poderia participar do torneio e ver como tudo sairia. Mas, eu adoraria competir nas Olimpíadas e, se eu fizer, gostaria de ganhar uma medalha para a Suíça”, concluiu.

 

banner
banner