X

Zwetsch confia em Bellucci e afirma que calor seria desafio para todos

Terça, 03 de março 2015 às 00:00:12 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Fabrizio Gallas, em Buenos Aires - Capitão da Copa Davis, João Zwetsch conversou com o Tênis News nesta segunda-feira ao fim do treino, em Buenos Aires, e destacou a tranquilidade de João Souza, o Feijão, e a adaptação de Thomaz Bellucci.



Foto: Cristiano Andujar

 

A equipe realizou o primeiro treino na quadra central do confronto da Argentina, em Tecnópolis, válido pela primeira rodada do Grupo Mundial da maior competição de nações, e ao fim da tarde treinou no Ténis Club Argentino, no bairro de Palermo.

João deu suas impressões da quadra que terá pouco mais de 8 mil pessoas torcendo pelo time da casa: "Está um pouquinho desnivelada, mas a quadra tá boa, bem parecida com as daqui (do Ténis Club), um pouquinho mais rápida lá, dura, compacta. Estava esperando ela um pouco mais lenta. Sempre tem como modificar (deixar mais lento) nos dias que seguem, mas primeira sensação que tivemos é que está mais rápida em relação à essas daqui", afirma João sobre o confronto que será jogado com bolas Wilson Australian Open, segundo eles, bolas grandes e lentas. 

O capitão, que também é técnico de Thomaz Bellucci, pelo menos até o fim deste mês, afirmou que o paulista teve alguns problemas com o forte calor e umidade de Buenos Aires na estreia do ATP 250 local, na segunda-feira passada, mas afirmou que ele está "mais do que adaptado" às condições da capital argentina. No torneio ATP, o canhoto 87º do mundo perdeu para o italiano Paolo Lorenzi em três sets.

"Depois que acabou o 2º set, que começou o 3º, ele se sentiu um pouco mal, tontura um pouco. O cara abriu 3/0, ele tentou correr atrás, mas não deu. Foi um dia duro, calor estava grande , mais que hoje. Foi nada demais, ele tentou voltar no jogo, se atrapalhou um pouco, perdeu um pouco a concentração, ficou um pouco frustrado, sentiu um pouco de desconforto. Foi nada demais, coisas que acontecem, tivemos outras desistências naquele dia. Foi mais uma frustração por ter voltado no segundo set e começado mal o terceiro que qualquer outra coisa."

 

"Thomaz está mais que adaptado a jogar aqui . Depois que ele perdeu no ATP aqui ficamos treinando dias seguidos e está tudo bem", afirmou Zwetsch que em seguida destacou que, caso o calor do início da semana passada se repita, será um desafio para todos: "Os primeiros quatro dias foram de muito calor e umidade, chegou a fazer uns 70%, parecido com o Rio de Janeiro eu diria. Todo mundo estava sentindo, mas ao longo dos dias ele foi melhorando. Vai ter que suportar. Se pegarmos um final de semana do confronto com calor igual, com dias quentes, nós e eles teremos que suportar , pois teremos jogos com a tendência de serem equilibrados, nenhum promete ser fácil , tem que se preparar pra suportar, ter parcela boa de superação, determinação".

 

Para Zwetsch, a volta de João Souza, o Feijão, vem sendo positiva. Ele avaliou bem o novo número 1 nacional e 75º nos prmeiros treinos: "Feijão começou o treino ontem, hoje já treinou um pouco melhor, mais solto dentro do que é o jogo aqui com margem , muito focado, tranquilo. Ele vem bem, confiante, gostei muito".

Com praticamente o número 1 argentino definido para Leonardo Mayer, o comandante nacional apostava antes em Federico Delbonis, mas a última semana pode ter mudado. Zwetsch destaca também um único fator positivo para a mudança de mãos no topo do ranking nacional que tem Feijão como número 1 e Bellucci como segundo: "Acredito que o Delbonis tem boa chance de jogar, mas depois da semana do ATP, Carlos Berlocq se credenciou bastante com as boas atuações lá. Pra nós não faz muita diferença, o que pode ser de interessante para nós é que se o confronto cair para a decisão no 5º jogo teríamos um Thomaz decidindo o duelo com sua já boa experiência de Copa Davis".

 

 

banner
banner