X

Djokovic destaca jogo duro contra Murray e afirma: 'Não existe favorito'

Sexta, 30 de janeiro 2015 às 13:58:56 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O sérvio Novak Djokovic, tetracampeão do Australian Open, atingiu sua 5ª final no torneio ao vencer o campeão da edição 2014 Stan Wawrinka. Djokovic agora terá pela frente um duro duelo contra o britânico Andy Murray, quem já venceu em duas finais em Melbourne.



“Eu não joguei no nível que pretendia antes da partida. Houveram momentos da partida onde eu joguei como precisava jogar, em outros momentos eu joguei de maneira muito defensiva, o que permitiu que ele ditar o ritmo do jogo da linha de base,” analisou Djokovic. “Uma vez que ele tenha controle dos ralis é muito difícil jogar contra ele. Então, sim, foi um jogo muito emocional, muito tenso, como sempre é contra um tenista de alto nível numa partida de semifinal. Claro que julgando pelas partidas que fizemos aqui na Austrália nos últimos dois anos, podíamos esperar 5 sets, como foi o caso. A única diferença é que o quinto set foi totalmente à meu favor, embora tenha havido um primeiro game muito tenso onde ele teve chances de quebra. Definitivamente é uma daquelas partidas em que um ponto decide a coisa toda.”

 

O retrospecto de Djokovic contra Murray é favorável, o sérvio venceu sete das últimas oito vezes em que se enfrentaram. “Não existem muitos cenários previsíveis em nossos confrontos. Acho que nos conhecemos muito bem, treinamos muito juntos, jogamos muitas vezes um contra o outro em diferentes superfícies, especialmente aqui nesta arena algumas vezes na final. O fato de que eu venci sete dos últimos oito jogos obviamente elevará minha confiança para a partida. Não há um favorito, pela maneira que ele vem jogando, ele já sabe o que precisa para conquistar um Grand Slam. Por outro lado, eu tentarei usar minha experiência e, claro, minha motivação para conquistar o título”

 

“Eu acredito que ele (Murray) vai atrás das bolas, ele é um dos melhores jogadores de defesa que temos e é incrível no contra-ataque. O jogo é muito variado e conta com um potente serviço, então se ele sacar bem, além da confiança, ele leva vantagem. Me parece que ele está mais relaxado em quadra, principalmente da linha de base, seu forehand melhorou, em comparação com meses atrás. Como a quadra está mais rápida e a bola quica mais baixo isso favorecerá ele, ele gosta desse tipo de jogo, seu backhand é chapado e sua movimentação é muito boa. Então eu acredito que será uma partida muito física. No final acredito que nós dois daremos nosso melhor em quadra,” concluiu o tetracampeão.

 

 

 

 

banner
banner