X

Derrota de Rafael Nadal na Austrália não é um desastre, diz Toni Nadal

Quarta, 28 de janeiro 2015 às 20:53:59 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Tio e treinador de Rafael Nadal, Toni, admitiu que o número 3 do mundo iniciou o Australian Open com pouca confiança, que acabou por aumentar conforme ele avançava no torneio e que levou o tenista a entrar em quadra contra o tcheco Tomas Berdych em ótima forma.



Mas, apesar da alegação, Toni não tem uma explicação real para o nível pobre de tênis que seu sobrinho demonstrou perante Berdych nos dois primeiros sets.

“Antes da partida eu achei que estivéssemos em perfeita forma pois na última partida Rafa havia jogado muito bem contra o Kevin Anderson,” disse Toni. “Achei que ele pudesse jogar igualmente bem contra Berdych. No começo ele não jogou bem o suficiente, teve uma série de problemas no backhand. Isso foi uma péssima combinação. Basicamente ele jogou mal e quando reagiu já era tarde demais.”

Nadal havia vencido suas últimas 17 partidas contra o tcheco, mas Toni não acredita que o número 7 da ATP tenha feito nada de diferente do normal.

“Não acho que Berdych tenha mudado algo no seu approach, acho que ele jogou seu jogo normal e encontrou um Rafa que jogou mal durante dois sets. E quando Rafa reagiu da maneira que esperávamos, a partida tornou-se difícil para ambos, exatamente como sempre foi,” explicou.

“Estar dois sets abaixo foi um grande buraco, perdemos a partida nos dois primeiros sets. A verdade é que Rafael sacou, sentiu-se um pouco nervoso e cometeu algumas duplas faltas, e Berdych teve a ideia de não trocar muitas bolas e atacar bastante.”

Enquanto esta foi uma das piores derrotas que Nadal sofreu em sua carreira em Grand Slams – apenas outros dois tenistas aplicaram pneus no espanhol em um major, Roger Federer em Wimbledon 2006 e Andy Roddick no US Open 2004 – Toni não está preocupado em como seu sobrinho ira lidar com isso.

“Da mesma maneira que reagimos a qualquer outra derrota: trabalhando. Não é nada demais,” disse Toni. “Perdemos muitas vezes nas quartas de final aqui e nenhuma das vezes que perdemos aqui perdermos em Roland Garros. Nunca é nada demais nos esportes, as coisas mudam rapidamente. Às vezes você está no topo de algo, outras no fundo.”

“Quando perdemos eu nunca vejo como uma tragédia. Por exemplo, há algumas semanas (Real) Madri parecia invencível e Barcelona era um desastre, agora me diga... Quem está jogando melhor? Barcelona. O mesmo aconteceu com Federer em Xangai. Ele enfrentou 4 match ponts contra Leonardo Mayer, logo depois venceu Djokovic em altíssimo nível e venceu o torneio,” concluiu Toni.

banner
banner