X

Nadal rechaça favoritismo, mas diz se sentir 'melhor a cada dia'

Domingo, 25 de janeiro 2015 às 05:54:41 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Pela primeira vez no Australian Open, o espanhol Rafael Nadal se mostrou muito satisfeito com sua produção em quadra. Depois de um começo titubeante e com problemas físicos na segunda fase, ele derrotou o sul-africano Kevin Anderson, 15º colocado, por 7/5 6/1 6/4.

Leia Mais:
Nadal derruba grandalhão Anderson e encara Berdych
Nadal aponta futuro obscuro no tênis
Toni Nadal pede encurtamento de raquetes para esporte mais atrativo
Desafio Aberto da Austrália - Ganhe uma Mochila Wilson!

Nadal destacou o game de 5/5 onde salvou cinco break-points como chave para o triunfo, mas afirmou ter feito ótima atuação.

"Problemas ? Sempre há. Sempre há pontos chave no jogo que podem mudar a dinâmica das partidas. É certo que tive sorte no primeiro set que foi bem perigoso. Kevin jogava muito agressivo desde o começo, tentando winners de todos os lados. Tive sorte no 5/5, joguei dois forehands na linha, depois uns bons saques, um ace . Mas mesmo que ele tenha tido mais chances que eu no primeiro set, sentia que jogava melhor que nos outros dias. Me sentia com maior ritmo nas pernas e no forehand. Estou muito feliz com a forma com que joguei hoje. A maneira com que melhorei não foi tão importante hoje e sim a vitória".

Nadal destacou uma mudança tática na devolução ao fim do primeiro set onde até o 5/5 só havia ganho um ponto nos saques do rival: "Mudei meu posicionamento na resposta, estava jogando perto da linha de base. Decidimos ir mais agressivo no começo. Tive o sentimento que ele ganhava muitos pontos de saque, então teria que fazê-lo buscar os winners na base. Então consegui mudar no fim do primeiro set, consegui umas boas devoluções, para fazê-lo pensar um pouco mais do que estava. É mais fácil começar com o posicionamento agressivo e passar pro defensivo do que o contrário".

Questionado sobre favoritismo após passar a primeira semana e começar bem na segunda com vaga nas quartas de final, o número três do mundo rechaçou e pregou respeito ao tcheco Tomas Berdych, sétimo da ATP: "Sou um dos oito melhores. Isso é o mais importante. Não vou falar disso (favoritismo), nunca falo disso em minha carreira e especialmente nesse momento onde enfrento o Tomas Berdych que vem de campanha muito boa em Doha (vice-campeão) e quartas aqui sem perder nenhum set. Ele é um oponente muito duro".

"Chegar aqui tendo perdido na estreia no Qatar, sem jogar partidas em sete meses, ter a chance de jogar as quartas mais uma vez é bem positivo pra mim. Isso vai me ajudar nos próximos torneios. Sou um cara que tento jogar melhor e melhor e hoje melhorei meu nível em tudo em quadra. Não há matemáticas (para dizer quanto se se sente de nível de 0 até 100%). Isso não importa. Estou nas quartas de final e me sentindo melhor a cada dia. Hoje é o primeiro dia que posso dizer que estava jogando da forma que queria".

Sobre o incrível retrospecto de 18 a 3 contra Berdych tendo vencido as últimas 17 - não perde desde 2006 -, Nadal minimizou: "Não importa o que aconteceu no passado. Agora é uma história diferente. Momento distinto pra mim e para ele. Tenho sucesso contra ele, mas poderia ter perdido alguns desses jogos. Lembro de 2012 que tive um jogo muito duro contra ele aqui. Estive perto de ficar dois sets abaixo. Ele é um jogador de alto nível".
banner
banner