X

Clezar vibra: 'Meu 2015 começou essa semana'

Quinta, 20 de novembro 2014 às 21:57:37 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O duelo brasileiro entre João 'Feijão' Souza e Guilherme Clezar, nesta quinta-feira, pelo Grupo B do Challenger Tour Finals, foi emocionante e disputado. O gaúcho Clezar acabou levando a melhor após 2h45 de partida, por 7/6(4) 2/6 7/6(7), no Esporte Clube Pinheiros.

Clezar volta à quadra nesta sexta-feira diante do esloveno Blaz Rola, enquanto Feijão encara o argentino Diego Schwartzman. No primeiro set, o paulista chegou a liderar o tiebreak por 4-1, mas o gaúcho virou o placar. Feijão dominou o segundo set, e o terceiro foi muito acirrado até o final, quando Clezar converteu o terceiro match-point.

O tenista de 21 anos espera retomar a confiança após a vitória, já que viveu uma temporada abaixo do esperado. "Em termos de resultados, não foi um grande ano pra mim. Sempre acreditei muito no meu tênis, continuo acreditando. Decidi deixar 2014 pra trás, começar 2015 já nesta semana", afirmou Clezar.

A estratégia de Clezar para a partida foi apostar na regularidade e no contra-ataque. "O Feijão é um cara bastante ofensivo, que tenta comandar com o saque. É complicado jogar muito perto da linha contra ele. Tentei me firmar no ponto com umas duas bolas, depois tentar tomar a iniciativa. Foi por aí que consegui minha vitória", analisou.

Apesar do desgaste do jogo contra Feijão, Clezar acredita que estará recuperado para jogar contra Rola. "De um dia para o outro eu consigo me recuperar. Estamos acostumados a essas situações", disse o gaúcho.

Feijão lamentou a segunda derrota no ATP Challenger Tour Finals: "Foi um jogo mais mental que qualquer outra coisa. Não soube aproveitar as chances que eu tive. Estava muito desfocado. Faz parte. Ele (Clezar) também tem os méritos dele e jogou muito bem."

O paulista ganhou sobrevida na competição com a vitória do esloveno Blaz Rola sobre o argentino Diego Schwartzman, no último jogo desta quinta-feira. "Tenho uma chance ainda. Então é descansar que tem mais um jogo e tudo pode acontecer. A esperança é a última que morre. As chances são pequenas, mas vou tentar entrar solto. Esses dois primeiros jogos servem de aprendizado. Vou jogar de franco-atirador e o que vier é lucro."
banner
banner