X

Feijão e Clezar confiantes para o Challenger Finals após queda no Equador

Quarta, 12 de novembro 2014 às 13:55:15 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
João Olavo Souza (Taesa/Correios/Asics/Wilson), 92º do ranking, foi eliminado, no fim da noite desta terça-feira, na primeira rodada do torneio challenger de Guayaquil, no Equador, competição com premiação de US$ 50 mil mais hospedagem e que é disputada no piso de saibro.

O atleta que treina na Acioly Tennis Team, comandada por Ricardo Acioly, no Rio de Janeiro, caiu diante do espanhol Pere Riba, 117º colocado, por 2 sets a 1 com parciais de 5/7 6/3 6/2 após 2h05min: "Ele jogou muito bem, não deu pra mim", lamentou Feijão que embarca para o Brasil onde disputa sua última competição do ano, o Challenger Finals, em São Paulo, na próxima semana. O torneio reúne um convidado e os sete melhores do ano em torneios médio porte onde o número dois do país soma 11 semifinais, quatro decisões e um título.

Apesar da queda no Equador, Feijão está animado para a disputa do evento paulista: "Pelo menos terei mais alguns dias para me adaptar para esse grande torneio que encerra o ano em São Paulo, lugar que gosto muito de jogar, onde tenho bons resultados e terei minha família, amigos e torcida me apoiando. Estou confiante em um bom resultado para fechar com chave de ouro a temporada", afirmou o brasileiro que foi campeão do Aberto de São Paulo, terceiro maior evento do Brasil na temporada, e ainda bateu o top 50 Robin Haase no Brasil Open, também na capital paulista.

Também eliminado em Guayaquil, pelo argentino Renzo Olivo, por 3/6 6/3 6/3, Guilherme Clezar segue confiante para São Paulo.

Convidado pela organização, Clezar será o segundo representante brasileiro na competição ao lado João Souza, o Feijão. Em sua quarta edição, pela primeira vez, o Brasil terá dois tenistas no Challenger Tour Finals, que distribui uma premiação total de US$ 220 mil e pontos para o ranking da ATP.

"Jogar um torneio no Brasil, ainda mais sendo desse porte, sempre motiva bastante o jogador. Sabendo ainda que venho conseguindo encontrar meu melhor tênis novamente, o que me dá bastante confiança", afirmou o jovem atleta.

"Já enfrentei todos os jogadores que estarão no torneio, com exceção do Andreas Haider-Maurer e do Simone Bolelli, mas já treinei com eles também. São todos jogadores qualificados e merecedores dessa vaga, mas tenho condições de enfrentá-los de igual para igual", avaliou Clezar.

O tenista fez uma análise da temporada de 2014, em que fez sua estreia pela Copa Davis, mas sofreu com lesões que o tiraram das quadras por longos três meses.

"Está sendo uma temporada um pouco diferente para mim. Não obtive muitos resultados expressivos, fiquei três meses sem competir. Consegui me encontrar um pouco melhor agora no fim do ano e isso me motiva para jogar esses últimos torneios e começar bem ano que vem", comentou.

Ainda sobre Copa Davis, Clezar ressaltou a importância da experiência de disputar a competição no processo de amadurecimento como tenista profissional.

"Sem dúvida amadurecei bastante. Estar envolvido com a Copa Davis, independente de jogar como titular ou não, é sempre um aprendizado e muito gratificante para o tenista", finalizou.

Além de Clezar e Souza, o ATP Challenger Tour Finals conta com o o argentino Máximo Gonzalez, o esloveno Blaz Rola, o dominicano Victor Estrella Burgos, o austríaco Andreas Haider-Maurer, o italiano Simone Bolelli e o argentino Diego Schwartzman.
banner
banner