X

Para Moyá, capitão da Davis não precisa entender de tênis

Segunda, 10 de novembro 2014 às 16:04:05 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
O ex-número um do mundo e ex-capitão da Espanha na Copa Davis, Carlos Moyá, concedeu uma entrevista à agência de notícias alemã DPA e voltou a falar sobre Copa Davis. Sem isentar-se de culpa, Moyá revelou que ser motivador é mais importante a um capitão que entender de tênis.

Quetionado sobre o trabalho de capitão de um time na Copa Davis Moyá não titubeou: "Acredito que o jogador é 90, 95%. Se o capitão consegue convencer seus jogadores que podem, pode colocar alguém que não entenda nada de tênis ali".

"Se você encontrar um cara na rua que tivesse trazido Rafa e Ferrer, seria mais válido ter esse cara do que o que mais sabe de tênis no mundo", completou.

O campeão de Roland Garros em 1998 disse ainda que estar como capitão espanhol não trouxe o apelo que todos acharam que teria para que os jogadores não declinassem da competição: "Não tive nenhum peso para dizer a eles que jogassem", resumiu.

Moyá demonstrou estar à vontade com todas as suas decisões: "Não me arrependo de ter assumido o cargo ou de ter saído, inclusive por conta de minha situação pessoal, com três filhos pequenos, gosto de estar com eles. Viajar é algo que custa muito pra mim. Se vejo que o objetivo que tenho é comum com os deles não tenho problemas em viajar algumas semanas, mas se vejo que não é, fico em casa com a minha família".

Sobre a nova capitã espanhola, a contestada Gala León, Moyá comentou um pouco sobre o período em que trabalhou sendo dirigido por ela, que acompanhou a equipe espanhola ao Brasil para a disputa dos playoffs: "Esteve muito receptiva, estive com ela em seu escritório, não se metia muito nas decisões porque eu era o capitão e ela a diretora esportiva, estava ali para apoio. Serviu para ela conhecer um pouco o funcionamento da Copa Davis e dos jogadores que ali estavam. E esta é a vivência que ela teve, é melhor que nada".
banner
banner