X

RFET tenta esconder nomeação de diretor acusado de estupro

Sábado, 08 de novembro 2014 às 09:30:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
A gestão José Luis Escañuela parece estar cada dia mais abalada na RFET. Com um conflito após o outro e ainda tentando se reerguer da queda à 2ª divisão da Copa Davis, a RFET encarará outro processo de avaliação de conduta feito pelo Conselho Superior do Esporte (CSD).

A Real Federação Espanhol de Tênis, que já está sofrendo um processo em virtude da nomeação de Gala León à capitania da Copa Davis, terá sua conduta investigada após a nomeação e promoção de Miguel Sánchez Dopico (treinador de tênis e coordenador técnico), mesmo tendo ciência de que Dopico é investigado pelo CSD e a polícia espanhola por estupro.

A informação foi revelada em reportagem da TV ABC, que apresentou o caso que vinha sendo investigado em sigilo pelo CSD desde outubro de 2013. Esta investigação foi desencadeada por uma reportagem da TVE, que trouxe o depoimento de uma jovem tenista de Aragón, ainda do juvenil, sobre o estupro praticado por Dopico.

A polícia também investiga o caso e ainda está em fase de colher depoimentos, de acordo com fontes ouvidas pela reportagem do site do jornal AAS.

Em julho do ano passado Dopico foi nomeado responsável pelo grupo de competição do Centro de Alto Rendimiento de Sant Cugat (CAR), em Barcelona. Neste centro, as principais promessas do tênis espanhol são assistidas, treinadas e educadas pelo corpo técnico da RFET.

Escañuela e Gala León, que foi quem anunciou a nomeação de Dopico no lugar de Mico Margets em julho de 2013 por ser a diretora esportiva da federação, foram comunicados do processo de investigação contra Dopico. Escañuela foi avisado pessoalmente, pela diretora do CSD, Ana Muñoz, e assim como o secretário de esportes da província, Ivan Tibau. Entretanto, ambos ignoraram o aviso e mantiveram Dopico no cargo administrando e tendo contato com adolescentes no CAR usando a alegação de presumida inocência.

Além das vistas grossas às denuncias contra Dopico, a gestão Escañuela será julgada pelo desresieto ao regimento interno da RFET já que o conselho administrativo não sabia das denuncias contra Dopico e por "maquiar" documentação, já que a única ligação do nome de Dopico a jovens atletas espanhóis da federação está nas fichas oficiais e públicas na internet feitas pela Federação Internacional de Tênis, a ITF.

banner
banner